Estratégias de incentivo a leitura: relato de experiência nas bibliotecas Farol da Educação - Maranhão - Brasil

Furtado, Cassia Estratégias de incentivo a leitura: relato de experiência nas bibliotecas Farol da Educação - Maranhão - Brasil., 2009 . In II Conferência Internacional Bibliotecas para a Vida. [Conference paper]

This is the latest version of this item.

[img]
Preview
PDF
ESTRATEGIAS_DE_INCENTIVO_A_LEITURA__Furtado.pdf

Download (252Kb) | Preview

English abstract

I report the educational and cultural activities realized at Bibliotecas Farol da Educação da Secretaria de Educação do Estado do Maranhão, Brazil, aimed to develop and encourage the practice of literary reading in students of basic education through play activities.Reading is understood by not only decipher graphic symbols, but essentially the understanding and use of information for the development of knowledge and as a social and socializing practice.Based on the Manifesto IFLA/UNESCO (2000) which emphasizes that objective of the school library to develop the habit and enjoyment of reading, not only as a supplement to formal place in the classroom, but also working in a dynamic and interactive context, providing free access to books, literature, and entertaining read, without further evaluation, for the simple pleasure of discovering the world of dreams and imaginary. It is considered that the school library falls as the ideal environment to stimulate the practice of reading the simple pleasure of interacting with the book of literature, because is not included in the educational requirements of the law with respect to curriculum, course class hours, etc. So should make use of innovative strategies and playful activities with the children and teenagers literary text. Thus, the school library took with it educational and cultural role in the new paradigms of the Information Society.

Portuguese abstract

Relato das atividades educativas e culturais realizadas nas Bibliotecas Farol da Educação da Secretaria de Educação do Estado do Maranhão, Brasil, que objetivavam desenvolver e incentivar a prática da leitura literária nos alunos da educação básica, através de atividades lúdicas. Entendese por leitura não somente decifrar símbolos gráficos, mas, essencialmente, a compreensão e a utilização da informação para o desenvolvimento do conhecimento e como prática social e socializadora. Tem-se base no Manifesto IFLA/UNESCO (2000) que enfatiza ser objetivo da biblioteca escolar o desenvolvimento do hábito e o prazer da leitura, não só como complemento à aprendizagem formal realizada na sala de aula, mas também, trabalhando num contexto dinâmico e interativo, proporcionando o livre acesso aos livros de literatura, e a leitura prazerosa, sem avaliação futura, pelo simples prazer de descobrir o mundo dos sonhos e o imaginário. Considerase que a biblioteca escolar, por não está inclusa nas exigências da legislação educacional, com relação a currículo, disciplinas, horas de aula etc, se enquadra como o ambiente ideal para o estímulo a prática da leitura, pelo simples prazer da interação com o livro de literatura. Para tanto, deve valer-se de estratégias inovadoras e atividades lúdicas com o texto literário infantil e juvenil. Dessa maneira, a biblioteca escolar assume com seu papel educacional e cultural nos novos paradigmas da Sociedade da Informação.

Item type: Conference paper
Keywords: School Library; Bibliotecas Farol da Educação – Maranhão – Brasil; Reading; Playful Culture.
Subjects: C. Users, literacy and reading. > CD. User training, promotion, activities, education.
Depositing user: Cassia Furtado
Date deposited: 16 May 2010
Last modified: 02 Oct 2014 12:16
URI: http://hdl.handle.net/10760/14563

Available Versions of this Item

References

"SEEK" links will first look for possible matches inside E-LIS and query Google Scholar if no results are found.

BROUGÈRE, Gilles. - A criança e a cultura lúdica. REVISTA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO. São Paulo. Vol.24, nº.2, (1998).

____________ . - O interesse de estudar os Pokémons é para demonstrar que, às vezes, as crianças têm competências extraordinárias para aprender. (Em linha). (Consult. 10 de janeiro 2008).Disponível em : http://www.aprendebrasil.com.br/entrevistas/entrevista0033.asp Gilles.

CASTELLES, Manuel. - Sociedade em rede. São Paulo, Paz e Terra, 1999.

CHARTIER, Roger. Os livros resistirão às tecnologias digitais. (Em linha). (Consult. 20 de janeiro 2009). Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/edicoes/pdf/0204/falamestre.pdf.

__________. - A aventura do livro do leitor ao navegador. São Paulo, 1998.

DARNTOM, Robert. - O aluno depende demais do Google. REVISTA ÉPOCA. São Paulo, ago. 2008.

DOHME, Vânia. - O lúdico na educação. Disponível em: <http://www.editorainformal.com.br> Acesso em: ago. 2005.

FOUCAMBERT, J. - A leitura em questão. Trad. Bruno Charles Magne. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

FURTADO, Cassia. - Farol da Educação: uma alternativa para bibliotecas escolares do Maranhão. Anais do Seminário Biblioteca Escolar: espaço de ação pedagógica, Belo Horizonte, out. 1998.

________________. - A biblioteca escolar brasileira no sistema educacional da Sociedade da Informação. Brasília, UNB, 2000. Dissertação de Mestrado em Ciência da Informação.

MARCELLINO, Nelson Carvalho. - Aspectos teóricos da ludicidade. (Em linha). (Consult. 20 de jan.2009. Disponível em: www.fag.edu.br/.

MARANHÃO. Secretaria de Estado da Educação. - Proposta para criação de um Sistema de Bibliotecas Escolares na Rede Estadual. São Luís, 1992. n.p.

MARANHÃO. Secretaria de Estado da Educação. - Projeto Bibliotecas Farol da Educação. São Luís,1997. n.p.

MARANHÃO. Gerência de Desenvolvimento Humano. - Manual do auxiliar de biblioteca. São Luís, 2000. 23p.

PIAGET, J. - A psicologia da criança. Ed Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

UNESCO. - Manifesto IFLA/UNESCO para biblioteca escolar. (Em linha). (Consult. 16 de fev. 2000). Disponível em: http://www.ifla.org.


Actions (login required)

View Item View Item