A face oculta do documento: tradição e inovação no limiar da ciência da informação.

Rabello, Rodrigo A face oculta do documento: tradição e inovação no limiar da ciência da informação., 2009 PhD thesis thesis, São Paulo State University. [Thesis]

[img]
Preview
PDF
rabello_r_do_mar.pdf

Download (2629Kb) | Preview

English abstract

Among the countless research possibilities in the field of Information Science (IS), the historical-conceptual approach is relevant when we observe intents of systematization and theoretical deepening of this analytical sphere with markedly epistemological concerns. Taking into consideration this research universe, it was observed that the concept document has a privileged position in the “protective belt” of the “scientific research program” of Imre Lakatos adapted to IS by Miguel Rendón Rojas. However, it was seen repeatedly that the document was approached inaccurately in the field of IS, mainly when conceptual aspects related one moment by tradition, and the next by innovation were not counterbalanced. Bearing in mind the objective of the study and the identified problematics, we resorted to the disciplines of History, Diplomatics and Documentation as they were relevant to a historical and conceptual approach, precisely for having studied the document prior to IS. The research of these disciplines was justified by the hypotheses that they have influenced and/or contributed to the meaning of document while a category in the theoretical universe of IS. Based on this conjecture, the following objectives arose: a) to carry out a historical and conceptual study to learn to what extent the analyzed disciplines have contributed for the meaning of document in IS; and b) to understand the nature and the range of the concept in IS when seen under a social perspective that contemplated the dynamic relationship between tradition and innovation in its theoretical framework. Therefore, tradition and innovation are considered as antithetical categories of analysis inspired on those that make up Historik by Reinhart Koselleck and that represent respectively “reality rates” and “perspectives of the future” of the concept document, if seen, above all, from the point of view of the method of history of concepts created by the above mentioned author. In this sense, we tried to relate the history of concepts while an analysis method to the historical-conceptual studies of IS. The use of such categories, under the mentioned method, was relevant for making noticeable the historical change of the scientific concepts analyzed based on the premise that the diachrony is included in their use and concurrent formulation and that it reflects on the inherent valorative process of the disciplinary context of IS. Thus, we tried initially to analyze theoretical-contextual aspects in the historiographical field where the concept document appeared under tension between two streams – the “Positivist History” and the Annales movement. Secondly, we tried to relate such aspects to the meaning of document in the disciplines Diplomatics and Documentation which equally expressed conceptually the dynamics between tradition and innovation. Finally, the “hidden face” of the concept in the condition of a category in the “research program” of IS was disclosed. It was argued that the historical-conceptual resource was vital for such enunciation to be justified. With such approach, essential aspects that helped to retrace tradition and innovation in the disciplinary context of IS were reached. Among them the following stood out: a) theoretical approach between information and document (objective, subjective and social perspectives); b) focus on the subject/object relationship (objectivist or subjectivist); c) nature of the object/register (natural, artificial, textual, etc.); d) categories to identify the phase object/document (uniqueness, virtuality and meaning); and e) nature of the producer of the document.

Portuguese abstract

Dentre as inúmeras possibilidades investigativas no campo da Ciência da Informação (CI), a abordagem histórico-conceitual se faz relevante num momento em que se observam intentos de sistematização e de aprofundamento teórico desta esfera analítica, com preocupações marcadamente epistemológicas. Considerando esse universo investigativo, observou-se que o conceito documento apresenta uma posição privilegiada na “cintura protetora” do “programa de investigação científica” de Imre Lakatos, adaptado à CI por Miguel Rendón Rojas. Todavia, identificou-se que, muitas vezes, o documento fora abordado no campo da CI de forma imprecisa, principalmente, quando não foram sopesados aspectos conceituais relacionados ora pela tradição, ora pela inovação. Tendo em vista o objeto de estudo e a problemática identificada, recorreu-se às disciplinas História, Diplomática e Documentação por serem importantes para uma abordagem histórico-conceitual, justamente por reunirem esforços anteriores à CI para o estudo do documento. A investigação dessas disciplinas se justificou a partir da hipótese de que elas influenciaram e/ou contribuíram para a acepção de documento enquanto uma categoria no universo teórico da CI. Dessa conjectura, emergiram os seguintes objetivos: a) realizar um estudo histórico-conceitual para apreender em que medida as disciplinas analisadas contribuíram para a acepção de documento na CI; e b) compreender a natureza e a abrangência do conceito na CI quando pensado a partir de uma perspectiva social que contemplasse a relação dinâmica entre tradição e inovação no seu quadro teórico. Para tanto, configuram-se tradição e inovação enquanto categorias antitéticas de análise inspiradas naquelas que compõem a Historik de Reinhart Koselleck e que representam, respectivamente, “índices de realidades” e “perspectivas de futuro” do conceito documento, se pensadas, sobretudo, a partir do método da História dos conceitos, criado pelo referido autor. Nesse sentido, buscou-se aproximar a História dos conceitos, enquanto um método de análise, aos estudos de natureza histórico-conceitual da CI. O emprego de tais categorias, no âmbito do mencionado método, foi relevante por tornar perceptível a mudança histórica dos conceitos científicos analisados a partir da premissa de que a diacronia está contida no uso e na formulação sincrônica desses e que reflete, por sua vez, no processo valorativo inerente ao contexto disciplinar da CI. Dessa forma, buscou-se contemplar, num primeiro momento, aspectos teórico-contextuais no campo historiográfico, onde o conceito documento apareceu sob tensão entre duas correntes  a “História Positivista” e o movimento dos Annales  e, num segundo momento, articular tais aspectos à acepção de documento nas disciplinas Diplomática e Documentação, que, igualmente, expressaram conceitualmente a dinâmica entre tradição e inovação. Por fim, desvelou-se a “face oculta” do conceito na condição de uma categoria no “programa de investigação” da CI. Argumentou-se que o recurso histórico-conceitual fora imprescindível para que tal enunciação pudesse ser justificada. Com tal abordagem, chegou-se a aspectos essenciais que ajudaram a remontar a tradição e a inovação no contexto disciplinar da CI, dentre os quais se destacaram: a) enfoque teórico entre informação e documento (perspectivas objetiva, subjetiva e social); b) enfoque na relação sujeito/objeto (objetivista ou subjetivista); c) natureza do objeto/registro (natural, artificial, textual, etc.); d) categorias para identificar a fase objeto/documento (unicidade, virtualidade e significação); e e) natureza do produtor do documento.

Item type: Thesis (UNSPECIFIED)
Keywords: Documento; História dos conceitos; História, Diplomática; Documentação; Ciência da Informação; Document, History of concepts; History; Diplomatics; Documentation; Information Science.
Subjects: A. Theoretical and general aspects of libraries and information. > AB. Information theory and library theory.
Depositing user: Rodrigo Rabello
Date deposited: 02 Apr 2012
Last modified: 03 May 2013 10:59
URI: http://hdl.handle.net/10760/16781

References

"SEEK" links will first look for possible matches inside E-LIS and query Google Scholar if no results are found.

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 10520: Informação de documentação-citações em documentos-apresentação. Rio de Janeiro, ago. 2002.

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 6023: Informação de documentação-referências-elaboração. Rio de Janeiro, ago. 2002.

A ERA VARGAS: 1º tempo - dos anos 20 a 1945". Liga das Nações. São Paulo: CPDOC/FGV, 1997. Disponível em: <http://www.cpdoc.fgv.br/nav_historia/htm/anos20/ev_centindep_liganacoes.htm>. Acesso em: 3 set. 2006.

ALBERTI, Verena. A existência na História: revelações e riscos da hermenêutica. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n.17, 1996. Disponível em: <www.cpdoc.fgv.br./revista/arq/184.pdf>. Acesso em: 20 out. 2007.

ALMEIDA JÚNIOR, O. F. Bibliotecas públicas e alternativas. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 26, n. 1/2, p. 115-127, 1993.

ALMEIDA JÚNIOR, O. F. Novas tecnologias: e a população? Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 22, n. 1/2, p. 92-104, 1989.

ALMEIDA JÚNIOR, O. F. Implicações entre formação e objeto da área de informação. VII ENCUENTRO DE DIRECTORES, 8. Y ENCUENTRO DE DOCENTES DE ESCUELAS DE BIBLIOTECOLOGÍA Y CIENCIAS DE LA INFORMACIÓN DEL MERCOSUR, 6. 30 ago. à 1 set. 2004a, Mar del Plata, Argentina. Anais… Mar del Plata, 2004a. CD ROM.

ALMEIDA JÚNIOR, O. F. Profissional bibliotecário: um pacto com o excludente. In: BAPTISTA, Sofia Galvão; MUELLER, Suzana Pinheiro Machado (Org.). Profissional da informação: o espaço de trabalho. Brasília: Thesaurus, 2004b. p.70-86.

ALVES, R. C. V. Análise Documental de Conteúdo de textos literários infanto-juvenis: perspectivas metodológicas com vistas à identificação do tema. 2008. 165p. Dissertação Mestrado em Ciência da Informação) Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2008.

ANTONIO, D. M. Análise do percurso temático e do percurso figurativo para identificação de temas em contos. 2008. 137p. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação)  Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2008.

APPADURAI, Arjun. Introdución: las mercancías y la política del valor. In:______. (Ed.). La vida social de las cosas: perspectiva cultural de las mercancias. México: Grijalbo, 1991. p.17-87.

ARNAU RIVED, P. En los Orígenes del Movimiento Documental. Documentación de las Ciencias de la Información, Madrid, n.16, p.185-192, 1993.

AUGUSTÍN LACRUZ, Carmen; MUÑOZ ESCOLÁ, Mercedes. Nuevos usuários, nuevos documentos. Scire, v.3, n.1, p.87-97, ene./jun. 1997.

BACHIMONT, B. De Otlet à Internet: ingénierie documentaire et management des contenus. In: IBERSID: ENCUENTROS INTERNACIONALES SOBRE SISTEMA DE INFORMACIÓN Y DOCUMENTACIÓN, 10., Zaragoza : [s.n.], 2005. 30p. Comunicação oral.

BARITÉ, M. Organización del Conocimiento: un nuevo marco teórico-conceptual en Bibliotecología y Documentación. In: CARRARA, Kester. (Org.). Educação, universidade e pesquisa. Marília, 2001. p.35-50.

BARITÉ, M. Referenciales teóricos vigentes en el área de tratamiento temático de la información y su expresión metodológica. Porto Alegre: ABEBD, 1998. 7 p. [Relatório técnico do II Encontro de Dirigentes dos cursos superiores de Biblioteconomia dos países do Mercosul, Buenos Aires, 27-29 nov. 1997].

BARTHES, R.; MARTY, E. Oral/Escrito. In: ENCICLOPÉDIA EINAUDI. Lisboa: Imprensa Nacional; Casa da Moeda, 1987. v. 11, p. 32-57.

BAUER, Wilhelm. Documentos. In:______. Introducción al estudio de la História. Trad. da 2.ed. alemã por Luis G de Valdeavellano. 3.ed. Barcelona: Bosch, 1957. p.354-377.

BEGTHOL, C. Bibliographic classification theory and text linguistics: aboutness analysis, intertextuality and the cognitive act of classifying documents. Journal of Documentation, v. 42, n.2, p.84-113, 1986.

BELKIN, N. J. Information concepts for information science. Journal of Documentation, v.34, n.1, p.55-85, 1978.

BELKIN, N. J; ROBERTSON, S. E. Information Science and the phenomenon of information. Journal of the American Societh for Information Science, v.24, n.4, p.197-204, 1976.

BELLOTTO, Heloisa Liberalli. Arquivos permanentes: tratamento documental. São Paulo: T. A.. Queiroz, 1991.

BELLOTTO, Heloisa Liberalli. Arquivos pessoais em face da teoria arquivística tradicional: debate com Terry Cook. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.11, n.21, p.201-207, 1998.

BELLOTTO, Heloisa Liberalli. Como fazer análise diplomática e análise tipológica de documento de arquivo. São Paulo: Arquivo do Estado / Imprensa Oficial do Estado, 2002a. 120p.

BELLOTTO, Heloisa Liberalli. Diplomática. In: SMIT, Johanna W.; LIMA, Yêdda Dias. Organização de arquivos: XIV Curso de especialização. São Paulo: Escola de Comunicação e Artes/USP, 2000. f.50-68. (Gênese Documental, 2).

BELLOTTO, Heloisa Liberalli. Documento de arquivo e sociedade. Ciências e Letras: revista da Faculdade Porto-alegrense de Educação, Ciências e Letras, Porto Alegre, n.31, p.167-175, jan./jun. 2002b.

BELLOTTO, Heloisa Liberalli. O espaço da diplomática no ensino da arquivologia, Caderno de Arquivologia, Santa Maria, v.1, n.1, p.138-155, 2002.

BELLOTTO, Heloisa Liberalli. Tipologia documental. Arquivo de Rio Claro, Rio Claro, v.9, n.1, p.4-15, jan. 1990.

BENEDIKTSSON, Daniel. Hermeneutics: dimensions toward LIS thinking. Library and Information Sciense Research, n.11, p.201-34, jul.-sept. 1989.

BEMFICA, Juliana do Couto; CARDOSO, Ana Maria Pereira; FARIA, Carlos Aurélio Pimenta de. ‘Sociedade da Informação’: estratégia para uma ‘sociedade mercadorizada’. Informática Pública, Belo Horizonte, v.5, n.2, p.185-203, jul./dez. 2003.

BENOIT, Lelita Oliveira. Sociologia comteana: gênese e devir. Prefácio de Isabel Maria Loreiro. São Paulo: Discurso editorial, 1999. 427p. (Coleção Clássicos e Comentadores).

BESSELAAR, José van Den. Observações preliminares. In:______. Introdução aos estudos históricos. 3.ed. rev. e ampl. São Paulo: Herder, 1968. p.117-120.

BLANQUET, M.-F. La fonction documentaire: etude dans une perspective histórique. Documentaliste-Sciences de l´Information, v.30, n.4-5, p.199-204, 1993.

BLOCH, Marc. A crítica. In:______. Introdução à História. Ed. Rev. aum. E criticada por Étienne Bloch. [S.l.] : Forum da História/Publicações Europa-América, 1997. p. 122-159. Cap. 3.

BLOCH, Marc. A observação histórica. In:______. Introdução à História. Ed. Rev. aum. E criticada por Étienne Bloch. [S.l.]: Forum da História/Publicações Europa-América, 1997. p.103-121. Cap. 2.

BORKO, H. Information science: what is it? American Documentation, v. 19, n. 1, p. 3-5, 1968.

BRAGA, G. M. Informação, Ciência da Informação: breves reflexões em três tempos. Ciência da Informação, Brasília, v.24, n.1, p.84-88, jan./jun. 1995.

BRASIL. Código de processo civil. Obra coletiva de autoria da Ed. Saraiva. Colaboração de Antonio Luiz de Toledo Pinto, Márcia Cristina Vaz dos Santos Windt e Luiz Eduardo Alves de Siqueira. 31.ed. São Paulo: Saraiva, 2001. (Legislação brasileira).

BRASIL. Código penal. Obra coletiva de autoria da Ed. Saraiva. Colaboração de Antonio Luiz de Toledo Pinto, Márcia Cristina Vaz dos Santos Windt. 37.ed. São Paulo: Saraiva, 1999. (Legislação brasileira).

BRASIL. Do processo e do Procedimento. Da prova documental. Da força probante dos documentos. Código civil. Colaboração de Antonio Luiz de Toledo Pinto et al. 30.ed. São Paulo: Saraiva, 2000b. (Legislação brasileira).

BRASIL. Do processo e do Procedimento. Das provas. Das disposições gerais. Código civil. Colaboração de Antonio Luiz de Toledo Pinto et al. 30.ed. São Paulo: Saraiva, 2000a. (Legislação brasileira).

BRIET, S. Qu'est-ce que la documentation? Paris: Éditions Documentaires Industrielles et Técnicas, 1951.

BROOKES, B. C. Measurement in information science: objective and subjective metrical space. Journal of the American Society for Information Science, v.31, n.4, p.248-255, 1980a.

BROOKES, B. C. The foundations of information science. Journal of Information Science, v.2, n.3-4, p.125-133, 1980b.

BUCAILLE, Richard; PESEZ, Jean-Marie. Cultura material. Trad. por Rui Santana Brito. In: ENCICLOPÉDIA EINAUDI. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1989. v.16.

BUCKLAND, Michal K. Documentation, Information Science, and Library Science in the USA. Information Processing and Management, v.32, n.1, p.63-76, 1996.

BUCKLAND, Michal K. Emanuel Goldberg, Electronic Document Retrieval, and Vannever Bush’s Memex. Journal of the American Society for Information Science, v.43, n.4, p.284-294, may 1997.

BUCKLAND, Michal K. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science, v.45, n.5, p.351-360, 1991.

BUCKLAND, Michal K. What is a digital document ? Document Numérique, Paris, v.2, n. 2, p.221-230, 1998.

BUCKLAND, Michal K. What is a document? Journal of the American Society for Information Science, v.48, p.804-809, 1997.

BUDD, John M. An epistemological foundation for Library and Information Science. Library Quarterly, v.65, n.3, p.295-318.

BUENO, R. M. Receitas culinárias: uma aplicação do método diplomático. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso de Biblioteconomia) – Universidade Estadual Paulista, Marília, 1998.

BUNGE, Mario. Ciência básica, ciência aplicada e técnica. In:______. Ciência e desenvolvimento. Belo Horizonte: Ed. Itália; São Paulo: EDUSP, 1980.

BURKE, Peter. A Escola dos Annales: 1929-1989: a revolução francesa da historiografia. Trad. Nilo Odália. São Paulo: UNESP, 1997. 154p.

BURKE, Peter. Abertura: a nova história, seu passado e seu futuro. BURKE, Peter. (Org.). A escrita da história: novas perspectivas. Trad. Magda Lopes. São Paulo: UNESP, 1992. p.7-37.

BURKE, Peter. Uma história social do conhecimento: de Gutenberg a Diderot. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

BUSH, Vannevar. As we may think. Atlantic Monthly, v.176, n.1, p.101-108, 1945. Disponível em: <www.theatlantic.com/unbound/flashbks/computer/bush.htm>. Acesso em: 28 fev. 2004.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Informação, documento e arquivo: o acesso em questão. Núcleo da Associação dos Arquivistas Brasileiros: Núcleo Regional de São Paulo, São Paulo, n.11, p.1-12, maio/ago. 1993.

CAPURRO, R. Epistemologia e Ciência da Informação. [S.l.:s.n.], 2003. Disponível em: <www.capurro.de/enancib_p.htm>. Acesso em: 30 out. 2005.

CAPURRO, Rafael; HJORLAND, Birger. O conceito de informação. Perspectivas em Ciência da Informação. v.12, n.1, p.148-207, jan./abr. 2007.

CARUCCI, Paola. Il documento contemporâneo: diplomática e criteri di edizione. Roma: La nuova Itália scientífica, 1987.

CHALMERS, A. F. O que é ciência afinal? Trad. Raul Fiker. São Paulo: Brasiliense, 1993. 225p.

CHARTIER, Roger. História positivista. In: LE GOFF, Jacques; CHARTIER, Roger; REVEL, Jacques et al. (Org.). A nova história. Trad. Maria Helena Arinto e Rosa Esteves. Coimbra: Almedina, 1978. p.516-518.

CHAUI, Marilena. O nascimento da Filosofia. In:______. Convite à Filosofia. 13.ed. São Paulo: Ática, 2003. p.30-38.

CHAUI, Marilena. Principais períodos da história da Filosofia. In:______. Convite à Filosofia. 13.ed. São Paulo: Ática, 2003. p.46-59.

COMTE, Auguste. Plano dos trabalhos científicos necessários para a reorganização da sociedade. In:______. Opúsculos de Filosofia Social: 1819-1828. Trad. Ivan Lins e João Francisco de Souza. Porto Alegre; São Paulo: Ed. Globo/Ed. USP, 1972. p.55-136. (Biblioteca dos Séculos).

COMTE, Auguste. Primeira Lição: exposição da finalidade deste curso, ou considerações gerais sobre a natureza e a importância da filosofia positiva. In:______. Curso de Filosofia positiva; Discurso sobre o espírito positivo; Discurso preliminar sobre o conjunto do positivismo; Catecismo positivista. Seleção de textos de José Arthur Giannotti e trad. de José Arthur Giannotti e Miguel Lemos. 2.ed. São Paulo: Abril, 1983. p.3-20. (Os pensadores).

COOK, Terry. Archival science and postmodernism: new formulations for old Concepts. Archival Science, n. 1, p.3–24, 2001.

COOK, Terry. Arquivos pessoais e arquivos institucionais: para um entendimento arquivístico comum da formação da memória em um mundo pós-moderno. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.11, n.21, p.129-150, 1998.

CRUZ MUNDET, José Ramón. Las ciencias auxiliares de la archivística. In:______. Manual de archivistica. 4.ed. Madrid: Fundação Germán Sanchez Ruipéres, 2001.

DAMAZO, A. C. Análise de assunto de conto espírita por meio do percurso figurativo e do percurso temático na análise de romances espíritas. 2006. 126p. Dissertação (Mestrado em Pós Graduação Em Ciência da Informação)  Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2006.

DAY, R. Paul Otlet´s book and the writing of social space. Journal of the American Society for Information Science, v.48, n.4, p.310-317, 1997.

DEMO, Pedro. Metodologia científica em ciências sociais. 3.ed. rev. ampl. São Paulo: Atlas, 1995. 293p.

DERVIN, B.; NILAN, M. Information needs and uses. Annual Review of Information Science and Technology, n.21, p.3-33, 1986.

DESANTES GUANTER, J. M. Teoría y régimen jurídico de la documentación. Madrid: EUDEMA, 1987.

DICK, Archie L. Epistemological positions and Library and Information Science. Library Quartely, v.69, n.3, p.305-323, 1999.

DIÉGUEZ LUCENA, Antonio. Los nuevos modelos racionalistas. In:______. Filosofía de la ciencia. Madrid: Biblioteca Nueva; Universidad de Málaga, 2005. p.211-246.

DODEBEI, Vera Lúcia Doyle. O sentido e o significado de documento para a memória social. 1997. 185p. Tese (Doutorado em Comunicação)  Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de janeiro, Rio de Janeiro, 1997. Disponível em: <http://teses.ufrj.br/ECO_D/VeraLuciaDoyleDodebei.pdf>. Acesso em: 16 out. 2008.

DODEBEI, Vera Lúcia Doyle. Construindo o conceito de documento. In: LEMOS, Maria Teresa Toríbio Brittes; MORAES, Nilson Alves de. (Org.). Memória e construção de identidades. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2001. p.59-66.

DURANTI, Luciana. (Coord.). InterPares project. International Research on Permanent Authentic Records in Eletronic Systems. Vancouver: UBC, [2001]. Disponível em: http://www.interpares.org.index.html>. Acesso em: 15 ago. 2006.

DURANTI, Luciana. Diplomática: usos nuevos para una antigua ciencia. Tradução de Manuel Vászquéz. Carmona: S & C Ediciones, 1995. 170p.

DURANTI, Luciana. Registros documentais contemporâneas como prova de ação. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.7, n.13, p.49-64, 1994.

DUCHEYNE, Steffen. Paul Otlet´s of knowledge and linguistic objectivism. Knowledge Organization, v.32, n.3, p.110-116, 2005.

EPSTEIN, Isaac. Revoluções científicas. São Paulo: Ática, 1988. 144p. (Ensaios 126).

ESCARPIT, Robert. Teoria General de la Información y de la Comunicación. Barcelona: Icaria, 1981.

FAUSTINO, Rosângela Célia; GASPARIN, João Luiz. A influência do positivismo e do historicismo na educação e no ensino de história. Acta Scientiarum, Maringá, v.23, n.1, p.157-166, 2001.

FAYET-SCRIBE, Sylvie. Histoire de la documentation en France: culture, science et technologie de l´information: 1895-1937. Paris: CNRS, 2001.

FERNÁNDEZ-MOLINA, J. C. De la Documentación a la Information Science: antecedentes, nacimiento y consolidación de la “Ciencia de la Información” en el mundo anglosajón. Boletín de la Asociación Andaluza de Bibliotecarios, v.9, n.33, p.41-61, 1993.

FERNÁNDEZ-MOLINA, J. C. La Documentación: su carácter científico, ámbito y límites. Boletín de la Asociación Andaluza de Bibliotecarios, v.11, n.38, p.27-39, 1995.

FERNÁNDEZ-MOLINA, J. C. Enfoques objetivo y subjetivo del concepto de información. Revista Española de Documentación Científica, v.17, n.13, p.320-331, 1994.

FERNÁNDEZ-MOLINA, J. C.; MOYA-ANEGÓN, F. Perspectivas epistemológicas “humanas” en la documentación. Revista Española de Documentación Científica, v.25, n.3, p.241-253, jul./sept. 2002.

FILLION, Chantale. Os tipos e os suportes de arquivo. In: ROSSEAU, Jean-Yves; COUTUSE, Carol. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Don Quixote, 1990. p.227-243.

FONDIN, H. L´activité documentaire: representation et signification. BBF, v.47, n.4, p.84-90, mai. 2002.

FRANCELIN, Marivalde Moacir. Ciência, senso comum e revoluções científicas: ressonâncias e paradoxos. Ci. Inf., Brasília, v.33, n. 3, p.26-34, set./dez. 2004

FREIRE, Gustavo Henrique. Ciência da Informação: temática, histórias e fundamentos. Perspect. Ciênc. Inf., Belo Horizonte, v.11, n.1, p.6-19, jan./abr. 2006.

FREIRE, Isa Maria. O olhar da consciência possível sobre o campo científico. Ci. Inf., Brasília, v. 32, n. 1, p. 50-59, jan./abr. 2003

FREIRE-MAIA, Newton. A ciência por dentro. 4.ed. Petrópolis: Vozes, 1997. 262p.

FREITAS, Lídia Silva de. Sentidos da história e história dos sentidos da Ciência da Informação: um esboço arqueológico. Morpheus - Revista Eletrônica em Ciências Humanas, ano 2, n.2, 2003.

FROHMANN, Bernd. Documentation redux: prolegomenon to (another) philosophy of information. Library Trends, v.52, n.3.

FREITAS, Lídia Silva de. O caráter social, material e público da informação na contemporaneidade. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 7., 19 a 22 nov. 2006, Marília. Anais... Marília.

FURLANETO NETO, Mário. Pornografia infantil na Internet: elementos diplomáticos como subsídios à caracterização do delito. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2003.

FUSTER RUIZ, Francisco. Archivística, archivo, documento de archivo... necesidad de clarificar los conceptos. In: ANALES DE DOCUMENTACIÓN, 2., [S.l.: s.n], 1999. p.103-120. Disponível em: <http://www.um.es/fccd/anales/ad02/AD07-1999.PDF>. Acesso em: 20 jan. 2006.

GADIN, J.-C. et al. La logique du plausible: essais d´épistemologie pratique. Paris : Ed. Maison des Sciences de l´Homme, 1981.

GALENDE DÍAZ, Juan Carlos; GARCÍA RUIPÉREZ, Mariano. El concepto de documento desde una perspectiva interdisciplinar: de la diplomática a la archivística, Revista General de Información y Documentación, 2003, v.13, n.2, p.7-35. Disponível em: <http://revistas.sim.ucm.es:2004/byd/11321873/articulos/RGID0303220007A.PDF>. Acesso em: 25 jan. 2006.

GARCÍA MARCO, Francisco Javier. El concepto de información: una aproximación transdisciplinar. Revista Geneneral de Información y Documentación, v.8, n.1, p.303-326, 1998.

GARCÍA MARCO, Francisco Javier. Paradigmas científicos en recuperación de información. In:______. (Ed.). Organización del conocimiento en sistemas de información y documentación. Zaragoza: ISKO, 1995. p.99-112.

GARCÍA MARCO, Francisco Javier. Vannevar Bush, el hipertexto y el futuro del documento. In: TENDENCIAS DE INVESTIGACIÓN EN DOCUMENTACIÓN, Zaragoza: Jesús Tramullas (editor), p.185-209.

GARCÍA-MORENO, Pilar Cortés. ¿El libro: cultura o industria editorial? RIBOT GARCÍA, Luis A. (Coord.). El libro, las bibliotecas y los archivos en España: a comienzos del Tercer Milenio. Madrid: Sociedad Estatal; España Nuevo Milenio, 2002. p.227-235.

GARCÍA RODRÍGUEZ, Antonio. Premisas diplomáticas y premisas de la Diplomática. In:______. Diplomática del documento administrativo actual: tradición e innovación. Carmona: S&C ediciones, 2001. p.19-30. (Colección Biblioteca Archivística, n.8).

GAY, Peter. Ranke: o crítico respeitoso. In:______. O Estilo na História. São Paulo: Companhia das Letras, 1990. p.63-93.

GIANNOTTI, José Arthur. Comte: vida e obra. In: COMTE, Auguste. Curso de Filosofia positiva; Discurso sobre o espírito positivo; Discurso preliminar sobre o conjunto do positivismo; Catecismo positivista. Seleção de textos de José Arthur Giannotti e trad. de José Arthur Giannotti e Miguel Lemos. 2.ed. São Paulo: Abril, 1983. p.vii-xvi. (Os pensadores).

GLENISSON, Jean. Iniciação aos estudos históricos. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1961.

GONÇALVES, Cássia Denise. A análise do documento fotográfico e a sua representação documetária. 2000. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação)  Universidade de São Paulo, 2000.

GONZÁLEZ de GÓMEZ, María Nélida. Cuestiones epistemológicas de la Ciencia de la Información y de la Bibliotecología. In: RENDÓN ROJAS, Miguel Ángel. Problemas sobre teoría y epistemología de la ciencia bibliotecológica y de la información: discusión y análisis. Ciudad de Mexico: UNAM, 2000. p.1-15. (Colección: Teoria y Métodos 1. Centro Universitario de Investigaciones Bibliotecológicas).

GONZÁLEZ de GÓMEZ, María Nélida. Metodologia de pesquisa no campo da ciência da informação. DataGramaZero – Revista de Ciência da informação, Rio de Janeiro, v. 1, n. 6, dez. 2000b. Disponível em: <http://www.dgz.org.br>. Acesso em: 12 out. 2007.

GONZÁLEZ de GÓMEZ, María Nélida. Para uma reflexão epistemológica acerca da Ciência da Informação. Perspect. Cienc. Inf., Belo Horizonte, v.6, n.1, p.5-18, jan./jun.2001.

GUIMARÃES, J. A. C. A análise documentária no âmbito do tratamento da informação: elementos históricos e conceituais. In: RODRIGUES, J.M.; LOPES, I.L. (Org.) Organização e representação do conhecimento na perspectiva da ciência da informação. Brasília : Thesaurus, 2003. (Estudos avançados em ciência da informação; 2). p.100-117.

GUIMARÃES, J. A. C. Diplomática como perspectiva metodológica de tratamento documentário para o profissional da informação. In: CONGRESO DE ARCHIVOLOGIA DEL MERCOSUL, 3., Montevidéu, 1999. (conferência).

GUIMARÃES, J. A. C. O caráter instrumental da Diplomática para tratamento temático de documentos na área jurídica. Cadernos da F. F.C., Marília, v.7, n.1-2, p.97-106, 1998.

GUIMARÃES, J. A. C. Perspectivas de ensino e pesquisa em organização do conhecimento em cursos de Biblioteconomia: uma reflexão. In: CARRARA, K. (org.). Educação, Universidade e Pesquisa. Marília: Unesp-Marília-Publicações; São Paulo: FAPESP, 2001. p. 61-74.

GUIMARÃES, J. A. C. A análise documentária no âmbito do tratamento da informação: elementos históricos e conceituais. In: RODRIGUES, J.M.; LOPES, I.L. (Org.) Organização e representação do conhecimento na perspectiva da ciência da informação. Brasília : Thesaurus, 2003. (Estudos avançados em ciência da informação; 2). p.100-117.

GUIMARÃES, J. A. C. A dimensão teórica do tratamento temático da informação e suas interlocuções com o universo científico da International Society for Knowledge Organization (ISKO). Revista Ciência da Informação, v.1, n.1, jan./abr. p.77.99, 2008.

GUIMARÃES, J. A. C. A dimensão teórica do Tratamento Temático da Informação (TTI) no universo científico da “International Society for Knowledge Organization” – ISKO. Marília: [s.n.], 2006. 36p. (Projeto de Produtividade em Pesquisa (PQ) apresentado ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq).

GUIMARÃES, J. A. C. Análise documentária em jurisprudência: subsídios para uma metodologia de indexação de acórdãos trabalhistas brasileiros. 1994. 250f. Tese (Doutorado em Ciência da Comunicação) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1994.

GUIMARÃES, José Augusto Chaves; NASCIMENTO, Lúcia Maria Barbosa; FURLANETO NETO, Mário. O contexto jurídico da informação. In:______. Aspectos jurídicos e diplomáticos dos documentos eletrônicos. São Paulo: Associação dos Arquivistas de São Paulo, 2005. p.7-19. (Instrumenta 2).

GUIMARÃES, J. A. C.; RABELLO, R. A contribuição metodológica da diplomática para a análise documental de conteúdo em arquivos e bibliotecas. In: RICHTER, E. I. S.; ARAUJO, J. C. G. (Org.). Paleografia e Diplomática no curso de Arquivologia - UFSM. Santa Maria: FACOS - UFSM, 2007. p.137-157.

HANSSON, Joacim. Hermeneutics as a bridge between the modern and the postmodern in library and information science. Journal of Documentation, v.61, n.1, 2005. p.102-113.

HEILPRIN, L. (Ed.). Toward foundations of information science. White Planis, N.Y.: Knowledge Industry Publications, 1985.

HELLEMANS, J. Paul Otlet (1868-1944): foudateur du mouvement bibliogique international. In : COLLOQUE INTERNATIONAL DE BIBLIOLOGIE, SCIENCE DE LA COMMUNICATION ECRITE : la Bibliologie : une science francophone.

hier, aujourd'hui, demain, 19., 2006. Résumés... Bélgica: l'Université Senghor et la Biblioteca Alexandrina Alexandrie, 2006. Disponível em : <http://www.bib.ulb.ac.be/AIB/alexandrie/programme.html >. Acesso em: 25 ago. 2006.

HEREDIA HERRERA, Antonia. Diplomática y Arquivística. In:______. Diplomática general: teoría y practica. Sevilla: Diputavión Provincial, 1988, p.36-43.

HESSEN, Johannes. Teoria do conhecimento. Trad. António Correia: Armenio Amado: Coimbra, 1973.

HJORLAND, B. Fundaments of Knowledge Organization. Know. Org., v.30, n.2, p.87-111, 2003.

HJORLAND, B. Nine principles of Knowledge Organization. Advances in Knowledge Organization, v.4, p.91-100. 1994.

HOLLAND, George Adam. Information science: an interdisciplinary effort? Journal of Documentation, v.64, n.1, p.7-23, 2008.

IBÁÑEZ SOLER, Federico. El libro entre la cultura y la industria editorial. RIBOT GARCÍA, Luis A. (Coord.). El libro, las bibliotecas y los archivos en España: a comienzos del Tercer Milenio. Madrid: Sociedad Estatal; España Nuevo Milenio, 2002. p.249-254.

INGWERSEN, P. Conceptions of information science. In: VAKKARI, P.; CRONIN, B. (Ed.). Conceptions of library and information science: historical, empirical and theoretical perspectives. London: Taylor Graham, 1992. p.299-312.

INGWERSEN, P. Information and information science in context. Libri, v.42, n.2, p.99-135, 1992.

JAENECKE, P. To What end Knowledge Organization. Know. Org., v.21, n.1, p.3-11, 1994.

JARDIM, J.M., FONSECA, M.O. As relações entre a arquivística e a ciência da informação. Cadernos BAD, n.2, p.29-45, 1992.

KOBASHI, Nair Y. A elaboração de informações documentárias: em busca de uma metodologia. 1994. 261p. Tese (Doutorado em Ciência da Comunicação) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo.

KOBASHI, Nair Yumiko , SMIT, Johanna W.; TÁLAMO, Maria de Fátima G.M. A função da terminologia na construção do objeto da Ciência da Informação. DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação, v.2, n.2, abr. 2001. Artigo 3. Disponível em: <dgzero.org/abr01/Art_03.htm>. Acesso em: 23 fev. 2006.

KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. 20.ed. atual. Petrópolis: Vozes, 2002. 182p.

KOPYTOFF, Igor. La biografía cultural de las cosas: la mercantilización. In: APPADURAI, Arjun. (Ed.). La vida social de las cosas: perspectiva cultural de lãs mercancias. México: Grijalbo, 1991. p.89-122.

KOSELLECK, Reinhart. Uma história dos conceitos: problemas teóricos e práticos. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.5, n.10, p.134-146, 1992.

KOSELLECK, Reinhart. Sobre a teoria e o método da determinação do tempo histórico. In:______. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto; PUC-Rio, 2006. p.97-188.

KOSELLECK, Reinhart. Historica y hermenéutica. In: KOSELLECK, Reinhart; GADAMER, Hans-Georg. Historia y hermenéutica. Barcelona: Paidós, 1997. p.65-94. (Pensamiento Contemporáneo, 43).

KUHN, Thomas S. A estrutura das revoluções científicas. 9.ed. São Paulo: Perspectivas, 2005. 260p. (Debates; 115).

LAKATOS, Imre. Falsificação e metodologia dos programas de investigação científica. Lisboa: Edições 70, 1999, c1973. 207. (Biblioteca de Filosofia Contemporânea).

LARA, Marilda Lopes Ginez de; ORTEGA, Cristina Dotta. Le document et l´information documentaire. Sciences de la Société : dimensions sociales du document, Toulouse, n.68, p.81-92, 2006. p.191-202.

LARA, Marilda Lopes Ginez de. A representação documentária: em jogo a significação. 1993. p.39-44. Dissertação (Mestrado em Ciência da Comunicação) – Escola de Comunicação de Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo.

LE COADIC, Y.-F. Ciência da informação. Brasília: Briquet de Lemos/Livros, 1996.

LE GOFF, Jacques. A história nova. In: LE GOFF, Jacques; CHARTIER, Roger; REVEL, Jacques et al. (Org.). A nova história. Trad. Maria Helena Arinto e Rosa Esteves. Coimbra: Almedina, 1978. p.253-288.

LE GOFF, Jacques. Documento/monumento. In:______. História e memória. Traduzido por Bernardo Leitão et al. 3.ed. Campinas: Ed. UNICAMP, 1994. (Coleção Repertórios).

LOPES, Luis Carlos. Os princípios fundamentais e as práticas da arquivísticas. In:______. A informação e os arquivos. Niteroi: EDUFF; São Carlos: EDUFSCAR, 1996. p.67-103.

LÓPEZ YEPES, J. La Documentación como disciplina: el concepto y el término. In:______. (Comp.). Fundamentos de información y documentación. Madrid: Eudema, 1990. p.27-32. (Eudema Universidad: Manuales).

LÓPEZ YEPES, J. La documentación como disciplina: teoria e história. 2. ed. actual. y ampli. Panplona: EUNSA, 1995. 337p.

LÓPEZ YEPES, J. Reflexiones sobre el concepto de documento ante la revolución de la información: ¿un nuevo profesional del documento? Scire, v.3, n.1, p.11-29, jul.-dic., 1997.

LÓPEZ YEPES, J. El análisis documental. In: LÓPEZ YEPES, J. SAGREDO FERNANDEZ, F. Estudios de Documentación General e Informativa. Madrid: Universidad Nacional de Educación a Distancia; Centro Regional de Las Palmas, 1981. p.115-141.

LÓPEZ YEPES, J. ¿Qué es la Documentación? Boletín de la ANABAD, XXXI, n.4, p.701-707, 1981.

MAIA, V. L. Elementos temáticos em rótulos de vinho: uma aplicação da abordagem facetada. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso em Biblioteconomia) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2002.

MANINI, Miriam Paula. Análise documentária de fotografias: um referencial de leitura de imagens fotográficas para fins documentários. 1997. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação)  Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

MARCONDES FILHO, Ciro. O capital da notícia: jornalismo como produção social de segunda natureza. São Paulo: Ed. Ática, 1986. 188p. (Ensaios 121).

MARCOS RECIO, J. C.; NUÑO MORAL, M. V. Los nuevos significados del concepto Documentación. In: CONGRESSO UNIVERSITÁRIO DE CIÊNCIAS DE LA DOCUMENTACIÓN, 1., Actas... 2000. Madrid: Universidad Complutense, 2000. Disponível em: <www.ucm.es/info/multidoc/multidoc/revista/num10/paginas/pdfs/Jcmrecio.pdf>. Acesso em: 13 ago. 2006.

MARTIN, Olivier. Le livre, les livres, dans la maison. Pour une sociologie de l´objet livre. In : GARABUAU-MOUSSAOUI, Isabelle ; DESJEUX, Dominique (Ed.). Objet banal, objet social : les objets quotidiens comme révélateurs des relations sociales. Paris : L´Harmattan, 2000.

MARTÍNEZ COMECHE, J. A. Naturaleza y cualidades del documento en archivos, bibliotecas, centros de documentación y museos. Revista de investigación Iberoamericana en Ciencia de la Información y la Documentación, v.1, n.1, p11-16, 2000.

MARTÍNEZ COMECHE, J. A. Teoría de la información documental y de las instituiciones documentales. Madrid: Síntesis, 1995.

MATHEUS, R.F. Rafael Capurro e a filosofia da informação: abordagens, conceitos e metodologias de pesquisa para a Ciência da Informação. Perspect. ciênc. inf., Belo Horizonte, v.10 n.2, p.140-165, jul./dez. 2005.

MENESES, Ulpiano T. Bezerra de. A crise da memória, história e documento: reflexões para um tempo de transformações. In: SILVA, Zélia Lopes da. Arquivos, patrimônio e memória: trajetórias e perspectivas. São Paulo: Ed. UNESP/FAPESP, 1999. p.11-29.

MENESES, Ulpiano T. Bezerra de. Memória e cultura material: documentos materiais no espaço público. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.11, n.21, p.89-103, 1998.

MESSIAS, Lucilene Cordeiro da Silva. Informação: um estudo exploratório do conceito em periódicos científicos brasileiros da área de Ciência da Informação. 2005. 184p. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação)  Universidade Estadual Paulista, Campus de Marília, 2005.

MEYRIAT, J. Document, documentation e documentalogie, Revue de Bibliologie, Schema et Schematisation, n.19, p.51-63, 1981.

MEYRIAT, J. Un siècle de documentation : la chose et le mot. Documentaliste-Sciences de l´Information, v.30, n.4-5, p.192-198, 1993.

MONTEIRO, Rodrigo Bentes. As Reforma Religiosas na Europa Moderna: notas para um debate historiográfico. Varia Histórica, Belo Horizonte, v.23, n.37, p.130-150, jan./jun. 2007.

MORAES, J. B. E. de. Análise documental de textos narrativos de ficção: uma proposta metodológica com vistas à identificação do tema. Marília: [s.n.], 2008. Projeto de Pesquisa.

MOREIRO GONZÁLES, J. A. Introducción bibliográfica y conceptual al estudio evolutivo de la documentación. Barcelona: PPU, 1990.

MOREIRO GONZÁLES, J. A. De la Documentación a la Ciencia de la Información: evolución de los conceptos y aplicaciones documentales. In: SEMINARIO DE HUMANIDADES AUGUSTÍN MILLARES CARLO: homenaje a Antonio de Bethencourt Massieu. Las Palmas de Gran Canaria: Cabildo Insular, 1995. p.533-557.

MURGUIA, Eduardo Ismael. A produção social do documento: valor, informação e instituição: um lugarde reflexão para as Ciências Humanas. In: HOFFMANN, Wanda Aparecida Machado; FURNIVAL, Chloe. (Org.). Olhar: ciência, tecnologia e sociedade. São Carlos: Centro de CECH-UFSCar, 2008. p. 225-235.

NASCIMENTO, Lúcia Maria Barbosa do. A dimensão diplomática do documento jurídico digital. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2002.

NUÑEZ-CONTRERAS, Luiz. Concepto de documento. In:______. Archivistica: estudios básicos. Sevilla: Diputación Provincial, 1981. p.25-44.

OCROSPOMA PELLA, Luis Enrique. Concepto jurídico penal de documento. Boletín Jurídico Derecho.com. Sep. 2001. Disponível em: <www.derecho.com>. Acesso em: 15 maio 2005.

OFFENSTADT, Nicolas. Begriffsgeschichte (Historie des concepts). In :______. Les mots de l´historien. Toulouse : Presses Universitaires du Mirail, 2006. p.16-17.

OFFENSTADT, Nicolas. Positivisme. In :______. Les mots de l´historien. Toulouse : Presses Universitaires du Mirail, 2006. p.87-88.

OLIVEIRA, Marlene de. Origens e evolução da Ciência da Informação. In: CENDÓN, Beatriz Valadares et al. Ciência da Informação e Biblioteconomia: novos conteúdos e espaços de atuação. Coordenação de Marlene de Oliveira. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2005. p.9-28. Didática.

ORTEGA, Cristina Dotta. Relações históricas entre Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação. DataGramaZero – Revista de Ciência da Informação, v.5, n.5, out. 2004. Disponível em: <www.dgz.org.br/out04/art_03.htm>. Acesso em: 3 maio 2005.

ORTEGA, C. D.; LARA, M. L. G. Documento e informação, conceitos necessariamente relacionados no âmbito da Ciência da Informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: diversidade, cultura e políticas de informação, 9., 28 sett. a 1 out. 2008, Marília. Anais... Marília. Comunicação oral apresentada ao GT-01 - Estudos Históricos e Epistemológicos da Informação.

OTLET, P. Documentos e documentação: discurso pronunciado no Congresso de Documentação Universal, Paris, 1937. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional (Separata). Também disponível em: <www.conexaorio.com/biti/otlet>. Acesso em: 8 jan. 2002.

OTLET, P. Traité de documentation : le livre sur le livre : théorie et pratique. Bruxelles : Mundaneum, 1934.

OTLET, P. El tratado de documentación: el libro sobre el libro: teoría y práctica. Murcia : Universidad de Murcia, 1996.

OTLET, P. L´Avenir du Livre et de la Bibliographie. Bruxelles ; Paris ; Zurich : Institut International de Bibliographie, 1911. n.117. 296p.

PAULIUS RABIKAUSKAS, S. J. Diplomática general. Tradutor: P. Manuel Anguiano Villegas. Roma: [s.n.], 2000.

PEDRINI, I. A. D. A questão do aboutness em documentos narrativos ficcionais: subsídios para a análise documental de crônicas. 2007. 84p. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação)  Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2007.

PEREIRA, Luísa Rauter. A História e “o Diálogo que Somos”: a Historiografia de Reinhart Koselleck e a Hermenêutica de Hans-Georg Gadamer. 2004. 89f. Dissertação (Mestrado em História Social da Cultura)  Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro, 2004.

PÉREZ GUTIÉRREZ, M. El fenómeno de la información: una aproximación conceptual. Madrid: Trotta, 2000.

PERIS BONET, R. Proyecto docente. Valencia: [s.n.], 2001. 22p. Disponível em: <http://www.uv.es/Ciencia/Cap9.pdf#search=%22%22PERIS%20BONET%22%20%22Proyecto%20docente%22%20%22pdf%22%22>. Acesso em: 10 ago. 2006.

PESEZ, Jean-Marie. A história da cultura material. In: LE GOFF, Jacques; CHARTIER, Roger; REVEL, Jacques et al. (Org.). A nova história. Trad. Maria Helena Arinto e Rosa Esteves. Coimbra: Almedina, 1978.

PINHEIRO, Lena Vânia Ribeiro. Campo interdisciplinar da Ciência da Informação: fronteiras remotas e recentes. In: CASTRO, Lucia Siaines de. Ciência da Informação, Ciências Sociais e Interdisciplinaridade. Organizado por Lena Vânia R. Pinheiro. Brasília: IBICT, 1999. p.155-182.

PINHEIRO, Lena Vânia Ribeiro. Informação: esse obscuro objeto da Ciência da Informação. Morpheus, ano 2, n.4, 2004. Disponível em: <http://www.unirio.br/morpheusonline/Numero04-2004/Ipinheiro.htm>. Acesso em: 8 mar. 2006.

PINHEIRO, Lena Vânia Ribeiro; LOUREIRO, José Mauro Matheus. Traçados e limites da ciência da informação. Ciência da Informação, v.24, n.1, 1995.

PINTO MOLINA, Maria. El resumen documental: paradigmas, modelos y métodos. 2.ed. corr. e atual. Madrid: Fundación Germán Sánchez Ruipérez, 2001. 382p. (Biblioteca del libro).

POMIAN, Krzysztof. A história das estruturas. In: LE GOFF, Jacques; CHARTIER, Roger; REVEL, Jacques et al. (Org.). A nova história. Trad. Maria Helena Arinto e Rosa Esteves. Coimbra: Almedina, 1978. p.183-208.

PRATT, A. D. The information of the image. Libri, v.27, n.3, p.204-220, 1977.

RABELLO, Rodrigo. A dimensão conceitual do documento: uma análise comparativa nas áreas de Direito, Arquivologia, Diplomática e Documentação. Marília: [s.n], 2006a. 131f. (Relatório Parcial FAPESP MS 1, Processo: n.04/12841-0).

RABELLO, Rodrigo. O documento na Ciência da Informação: em busca da construção de um objeto a partir das concepções da documentação e da diplomática. Marília: [s.n], 2006b. 51f. (Relatório Parcial FAPESP MS 2, Processo: n.04/12841-0).

RABELLO, Rodrigo. O documento na Ciência da Informação: em busca da construção de um objeto a partir das concepções da documentação e da diplomática. Marília: [s.n], 2007. 92f. (Relatório Parcial FAPESP DD 2, Processo: n. n.06/56180-3).

RABELLO, Rodrigo. O documento na Ciência da Informação: em busca da construção de um objeto a partir das concepções da Documentação e da Diplomática. Marília: [s.n.], 2006d. 22 f.. (Projeto de doutorado em Ciência da Informação na FFC-UNESP).

RABELLO, Rodrigo. História dos conceitos e ciência da informação: apontamentos teórico-metodológicos para uma perspectiva epistemológica. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v.13, n.26, 2º sem. 2008. Disponível em: <http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1829>. Acesso em: 2 dez. 2008.

RABELLO, R.; GUIMARÃES, J. A. C. A relação conceitual entre conhecimento e documento no contexto da Organização do Conhecimento: elementos para uma reflexão. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO (ENANCIB): a Dimensão Epistemológica da Ciência da Informação e suas Interfaces Técnicas, Políticas e Institucionais nos Processos de Produção, Acesso e Disseminação da Informação, 7., 2006, Marília. Anais... Marília : FAPESP, 2006c.

RABELLO, R.; GUIMARÃES, J. A. C. Complementariedades disciplinares entre la Diplomática y la Documentación a partir del proceso de Análisis Documental: elementos para una reflexión. In: GARCÍA MARCO, Francisco Javier. (Org.). Ibersid 2008: revista de sistemas de información y documentación: avances y perspectivas en sistemas de información y documentación. Zaragoza: Ibersid; Prensas Universitarias de Zaragoza, 2008. p. 147-154.

RABELLO, R.; GUIMARÃES, J. A. C. “Sociedade da Informação” no Brasil: uma reflexão no contexto da Ciência da Informação. In: SIMPÓSIO DE FILOSOFIA E CIÊNCIA, 2005. Marília. Anais... Marília: [s.n.], 2005. CD ROM.

RANKE, Leopold von. Leopold von Ranke: história. Org. por Sérgio Buarque de Holanda. Coord. por Florestan Fernandes. Trad. de Trude von Laschan Solstein. São Paulo: Ática, 1979. 216p. (Grandes Cientistas Sociais, 8).

RAYWARD, W. B. Orígenes de la ciencia de la información y del Instituto International de Bibliografía / Federación Internacional de Información y Documentación (FID). In: RAYWARD, W. B.; ARNAN RIVED, P. Hasta la documentación electronica. 2.ed. Madrid: Mundarnau, 1995.

RAYWARD, W. B. The case of Paul Otlet, pioneer of information science, internationalist, visionary: reflections on biography. Journal of Librarianship and Information Science, London, v.23, p.135-145, 1991. Disponível em: <http://people.lis.uiuc.edu/~wrayward/otlet/PAUL_OTLET_REFLECTIONS_ON_BIOG.HTM>. Acesso em: 30 jul. 2006.

RAYWARD, W. B. Visions of Xanadu: Paul Otlet (1868-1944) and hipertext. Journal of the American Society for Information Science, v.45, n.4, p.235-259, may 1994.

REDE, Marcelo. Estudos de cultura material: uma vertente francesa. Anais do Museo Paulista, São Paulo, v.8/9, p.281-291, 2003.

REDE, Marcelo. História a partir das coisas: tendências recentes nos estudos de cultura material. Anais do Museu Paulista, São Paulo, v.4, p.265-282, 1996.

REIS, G. C. A dimensão diplomática do conteúdo informacional de documentos técnicos: uma análise de manuais de instruções de pulverizadores automotrizes. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2003.

REIS, José Carlos. A História, entre a Filosofia e a Ciência. 3.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. 118p.

RENDÓN ROJAS, Miguel Ángel. Bases teóricas y filosóficas de la Bibliotecología. México-DF: UNAM, Centro Universitario de Investigaciones Bibliotecológicas, 1997. (Sistemas Bibliotecarios de Información y Sociedad).

RENDÓN ROJAS, Miguel Ángel. Bases teóricas y filosóficas de la Bibliotecología. 2.ed. México-DF: UNAM, Centro Universitario de Investigaciones Bibliotecológicas, 2005. (Sistemas Bibliotecarios de Información y Sociedad).

RENDÓN ROJAS, Miguel Ángel. El papel del profisional de la información en el acceso y uso de la información documental. In: LA INFORMACIÓN en el inicio de la era electrónica: información, sociedad y tecnologia. México: UNAM-CUIB, 1998. T.2. p.241-271.

RENDÓN ROJAS, Miguel Ángel. La ciencia de la información en el contexto de las ciencias sociales y humanas. DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação, v.9, n.4, ago. 2008. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago08/Art_06.htm>. Acesso em:8 set. 2008.

REVEL, J.; CHARTIER, R. L. Febvre et les sciences sociales. Historiens et Géographes, Paris, n.272, fév. 1979.

RIESCO TERRERO, A. La Paleografia y Diplomática en el marco de los estudios de Documentación. In: CONGRESO UNIVERSITÁRIO DE CIÊNCIAS DE LA DOCUMENTACIÓN, 1., Madrid: Universidad Complutense, 2000. Disponível em: <http://www.ucm.es/info/multidoc/multidoc/revista/num10/paginas/pdfs/Ariesco.pdf>. Acesso em: 20 fev. 2006.

RIEUSSET-LEMARIE, I. P. Otlet´s Mundaneum and the international perspective in the history of Documentation and Information Science. Journal of the American Society for Information Science, v.48, n.4, p.301-309, 1997.

ROBREDO, Jaime. Da ciência da informação revisitada aos sistemas humanos de informação. Brasília: Thesaurus; SSRR Informações, 2003. 245p.

RODRÍGUEZ BRAVO, Blanca. El documento: entre la tradición y la renovación. Granada: Ediciones Trea, 2002. (Biblioteconomía y Administración Cultural, 67).

RONDINELLI, Rosely Curi. Gerenciamento arquivístico de documentos eletrônicos: uma abordagem teórica da diplomática arquivística contemporânea. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2002. 160p.

SAGREDO, F. La bibliografia de Paul Otlet: el “Tratado de Documentación” (1934). In: DOCUMENTACIÓN DE LAS CCIAS. DE LA INFORMATION, 8., 1985. Madrid. Anais... Madrid: Univers. Compl. de Madrid, 1985. p.13-25.

SANCHES, Olivia. A representação da informação de filmes. 2007. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso em Biblioteconomia e Documentação)  Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

SÁNCHEZ PRIETO, Ana Belén. Aportación de la Paleografía y la Diplomática a las ciencias de la Documentación, la Filología y la Archivística. In: CONGRESO UNIVERSITÁRIO DE CIÊNCIAS DE LA DOCUMENTACIÓN, 1., 2000, Madrid. Actas... Madrid: Universidad Complutense, 14-17 nov. 2000. Disponível em: <http://www.ucm.es/info/multidoc/multidoc/revista/num10/paginas/pdfs/absanchez.pdf>. Acesso em: 20 jan. 2006.

SANDER, S. La sociedad del conocimiento en Paul Otlet: un proyeto comteano. Investigación Bibliotecológica, v.16, n.32, p.26-40, enero / jun. 2002.

SANTOS, P. De M. dos. O ponto de inflexão Otlet: uma visão sobre as origens da Documentação e o processo de construção do Princípio Monográfico. 2006. 138f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, 2006.

SARACEVIC, T. Ciência da informação: origem, evolução e relações. Persp. Ci. Inf., Belo Horizonte, v.1, n.1, p.41-62, jan./jun. 1996.

SARACEVIC, T. Information science: origin, evolution and relations. In: VAKKARI, P.; CRONIN, B. (Ed.). Conceptions of library and information science: historical, empirical and theoretical perspectives. London: Taylor Graham, 1992. p.5-27.

SARACEVIC, T. Interdisciplinary nature of information science. Ciência da Informação, Brasília, v.24, n.1, p.36-41, 1995.

SARACEVIC, T. Information Science. JASIS -Journal of The American Society for Information Science, v,50, n.12: p.1051-1063, 1999.

SARDE, C. L. P. (2003). Análise diplomática de bulas de medicamentos. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso em Biblioteconomia) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2003.

SCHMITT, Jean-Claude. A história dos marginais. In: LE GOFF, Jacques; CHARTIER, Roger; REVEL, Jacques et al. (Org.). A nova história. Trad. Maria Helena Arinto e Rosa Esteves. Coimbra: Almedina, 1978. p.394-426.

SENNET, R. Introdução: corpo e cidade. In:______. Carne e pedra: o corpo e a cidade na civilização ocidental. Tradução de Marcos Aarão Reis. Rio de Janeiro; São Paulo: Ed. Record, 1997. p.15-60.

SHERA, J. H. Sobre biblioteconomia, documentação e ciência da informação. In: GOMES, H. E. (Org.). Ciência da informação ou informática? Rio de Janeiro: Calunga, 1980. p.91-105.

SILVA, Armando Malheiro da; RIBEIRO, Fernanda. Das “ciências” documentais à ciência da informação: ensaio epistemológico para um novo modelo curricular. Porto: Afrontamento, 2002.

SILVA, José Pereira da. Crítica textual e edição de textos. Filologia, [S.l.: s.n.], [2001?]. Disponível em: <http://www.filologia.org.br/viisenefil/03.htm>. Acesso em: 8 mar. 2006.

SMIT, Johanna W. (Org.) . Análise documentária: a análise da síntese. 2. ed. Brasília: IBICT, 1989. 135 p.

SMIT, Johanna W. O que é documentação? São Paulo, Brasiliense, 1986. (Coleção primeiros passos, 174).

SMIT, Johanna W. A pesquisa na área de ciência da informação. Transinformação, Campinas, v.14, n.1, p.25-28, jan./jun. 2002.

SMIT, Johanna W. Arquivologia, Biblioteconomia e Museologia  o que agrega estas atividades profissionais e o que as separa? R. bras. Bibliotecon. Doc., São Paulo, Nova Série, v.1, n.2, p.27-36, 2000a.

SMIT, Johanna W. O profissional da informação e sua relação com as áreas de Biblioteconomia/Documentação, Arquivologia e Museologia. In: VALENTIM, Marta Lígia Pomim (Org.). O profissional da informação: formação, perfil e atuação profissional. São Paulo: Polis, 2000b. p.119-134.

SMIT, Johanna W.; BARRETO, Aldo de Albuquerque. Ciência da Informação: base conceitual para a formação do profissional. In: VALENTM, Marta Lígia Pomim (Org.). Formação do profissional da informação. São Paulo: Polis, 2002. p.9-23. (Coleção Palavra-Chave, 13).

SMIT, J. W.; GUIMARÃES, J.A.C. Análise documentária. In: SMIT, J. W.; LIMA, Y. D. Organização de arquivos: XV Curso de especialização. São Paulo: Escola de Comunicação e Artes/USP, 2001. p.61-76. (Processamento, 3).

SMIT, J. W.; GUIMARÃES, J.A.C. Os documentos arquivísticos e seu conteúdo: função X tematicidade. Comunicação apresentada no XII Congresso Brasileiro de Arquivologia, 1998.

SMIT, Johanna W.; TÁLAMO, Maria de Fátima G. M.; KOBASHI, Nair Y. A determinação do campo científico da Ciência da Informação: uma abordagem terminológica. DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação, v.5, n.1, fev. 2004. Artigo 3. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/fev04/Art_03.htm>. Acesso em: 24 fev. 2006.

SOUZA, Gelson Amaro de. Prova documental. In:______. Curso de Direito Processual Civil. 2.ed. ampl. e rev. Presidente Prudente: Data Júris Ed., 1998. p.682-699.

STONIER, Tom. Towards a new theory of information, Journal of Information Science, v.17, n. 5, p.257-263, 1991.

STRAIOTO, A. C. Análise documentária de embalagens de shampoo: uma alternativa de uso do método diplomático para o profissional da informação. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso em Biblioteconomia) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 1997.

TAMAYO, Alberto. Segunda parte: Diplomática. In:______. Archivística, diplomática y silografia. Madrid: Catedra, 1996. p.55-225.

TESSIER, Georges. La Diplomatique. Paris: PUF, 1952.

TOGNOLI, Natália Bolfarini. O papel teórico de Luciana Duranti na Diplomática Contemporânea. 2007. 47p. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso em Arquivologia) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2007. Pesquisa IC financiada pela FAPESP.

VALENTE, José Augusto Vaz. Acerca do documento. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, [S.l.], v.11, n.3/4, p.177-198, jul./dez. 1978.

VIEIRA, Maria do Pilar de Araújo; PEIXOTO, Maria do Rosário da Cunha; KHOURY, Yara Maria Aun. O documento: atos e testemunhos da história. In:______. A pesquisa em história. 4.ed. São Paulo: Ática, 2005. p.7-28.

VILLACAÑAS, José Luis; ONCINA, Faustino. Introducción. In: KOSELLECK, Reinhart; GADAMER, Hans-Georg. Historia y hermenéutica. Barcelona: Paidós, 1997. p.9-54. (Pensamiento Contemporáneo, 43).

VUILLEMIN, Jules. Conceito. In: ENCICLOPÉDIA EINAUDI. Lisboa: Imprensa Nacional; Casa da Moeda, 1987. v.37, p. 77-124.

WERSIG, G. Information science: the study of postmodern knowledge usage. Information processing & Management, v.29, n.2, p.229-239, 1993.

WERSIG, G.; NEVELING, U. The phenomena of interest to Information Science. The Information Scientist, v. 9, n. 4, dec. 1975.

WOLEDGE, G. “Bibliography’ and “Documentation”: words and ideas. Journal of Documentation, v.39, n.4, p.266-279, 1983.


Actions (login required)

View Item View Item