O Arquivo Público e a transição paradigmática na sociedade da informação: a entrada do digital em instituições custodiais

Cornelsen, Julce Mary O Arquivo Público e a transição paradigmática na sociedade da informação: a entrada do digital em instituições custodiais., 2013 . In VI Encontro Ibérico EDICIC, Porto (Portugal), 4-6 November 2013. [Conference paper]

[img]
Preview
Text
PORTUGAL_ Arquivo Público e a transição paradigmática na sociedade da informação.pdf - Published version
Available under License Creative Commons Attribution.

Download (245kB) | Preview

English abstract

Investigates the custodial, historicist, patrimonial and technicist paradigm (1789-1945), and post-custodial, informational and scientific paradigm (1945) of trans and interdisciplinary Information Science. Guided by the Quadripolar Method. For data collection uses questionnaire surveys and semi-structured interviews, applied to the directors of District Archives / Brazilian and Portuguese States. The results of the study demonstrate the prevalence of the essential features of custodial, patrimonial, historicist and technicist paradigm and highlights the strong patrimonial component of custodial paradigm, mainly from the twentieth century in Portugal; the technical emphasis (record management) in the archives ofSouthern Brazil and the State objectives in relation to information and communication technology impose on government structures, characteristic of the Industrial Age, showing that the paradigm shift in progress, will be slow, made of overlapping and coexistence, but not paradigmatic rupture . Alert to the need of understanding the Archives as Information System and the need for a different kind of mediation, clearly post-custodial.

Portuguese abstract

investiga o paradigma custodial, historicista, patrimonialista e tecnicista (1789-1945) e o paradigma pós-cus- todial, informacional e científico (1945) da Ciência da Informação trans e interdisciplinar. Orienta-se pelo Método Quadripolar. Para a recolha dos dados utiliza inquéritos por questionário e por entrevistas semidiri- gidas, aplicados aos dirigentes dos Arquivos Distritais/Estaduais portugueses e brasileiros. Os resultados do estudo demonstram a prevalência dos traços essenciais do paradigma custodial, patrimonialista, historicista e tecnicista e destaca a forte componente patrimonialista do paradigma custodial, principalmente a partir do século XX, em Portugal; a ênfase tecnicista (gestão de documentos) nos arquivos da Região Sul do Brasil e os objetivos do Estado em relação às tecnologias de informação e comunicação colidem com as estruturas do governo, próprias da Era Industrial, evidenciando que a transição paradigmática em curso será lenta, feita de sobreposição e coexistência, mas não de rutura paradigmática. Alerta para a necessidade do entendimento dos Arquivos como Sistema de Informação e a necessidade de um tipo diferente de mediação, claramente pós-custodial.

Item type: Conference paper
Keywords: Public Archives, Information Society, Trans and interdisciplinary Information Science, Paradigms, Arquivo Público – Sociedade da Informação, Ciência da Informação trans e interdisciplinar – Arquivo Público, Arquivo Público – Paradigmas
Subjects: A. Theoretical and general aspects of libraries and information. > AC. Relationship of LIS with other fields .
B. Information use and sociology of information > BD. Information society.
D. Libraries as physical collections. > DL. Archives.
Depositing user: Carla Ferreira
Date deposited: 11 Mar 2014 23:13
Last modified: 02 Oct 2014 12:30
URI: http://hdl.handle.net/10760/22706

References

"SEEK" links will first look for possible matches inside E-LIS and query Google Scholar if no results are found.

APESC [Arquivo Público de Santa Catarina] Arquivo Público. Retirado de : http://www.sea.sc.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=90&Itemid=245794

APERS [Arquivo Público do Rio Grande do Sul] (2009).Quem somos.Retirado de: http://www.apers.rs.gov.br/portal/ index.php?menu=historico

Castells, M. (2003). A sociedade em rede: Era da Informação: economia, sociedade e cultura. (v.1, 6.ª ed.) São Paulo: Paz e Terra.

Castro, Denise Zullo (2005). A história do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul. (p.47-68) In: Spi- nelli, Teniza, org. Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul: história, publicações e legislação. Porto Alegre, RS: EST Edições. ISBN 85-7517-109-7.

Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Retirado de: http:// www2.camara.gov.br/ati- vidade-legislativa/legislacao/Constituicoes_ brasileiras/constituicao1988.html

Cornelsen, Julce Mary (2012). O Arquivo Público entre políticas e paradigmas: um contributo da Ciên- cia da Informação para o estudo das políticas culturais e arquivís-ticas em Portugal e no Brasil. Porto: UP/FLUP. Tese de doutoramento.

Corrêa, Lucia Helena Miranda (2010). Acesso à memória de domínio e de interesse público das ins- tituições brasileiras: obscurantismo e opacidade legal burocrática. Páginas a&b: arquivos &biblio- tecas, Porto, S.2(6):45-89. ISSN 0873-5670-0205.

Costa, Célia Maria Leite (2000). O Arquivo Público do Império:o legado absolutista na construção da nacionalidade. Revista Estudos Históricos, 14 (16):217-231. Retirado de: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/issue/view/292 ISSN 0103-2186. Decreto de 18 de março de 1911. Portugal, Diário do Governo, n.o 63. Retirado de:

http://antt.dgarq.gov.pt/ exposicoes-virtuais-2/torre-do-tombo-de-real-a-nacional/

Decreto-Lei n.o 149/83. Diário da República. I Série, 78 (1983-04-05) 1150-1152. Retirado de: http://www.adporto.pt/ficheiros_a_descarregar/dl_149_83-arquivos_ distritais.pdf

Decreto-Lei n.o 93/2007. Diário da República. I Série, 63 (2007-03-29) 1913-1916 Retirado de: http://www.adporto.pt/ficheiros_a_descarregar/dl_93_2007-dgarq_org. pdf

Duchein, Michel (1982/1986). O respeito aos fundos em arquivística. Arquivo & Administração, Rio de Janeiro, 10 (14):14-33.

Gonçalves, Janice (2005). Sombrios umbrais a transpor: arquivos e historiografia em Santa Catarina no século XX. Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de História. Programa de Pós-graduação em História Social, 2005. Tese de doutoramento.

Le Goff, Jacques, 2003. História e memória. (5.a ed.) Campinas: Editora da UNICAMP. ISBN 85-268- 0615-7.

Lei n.o 8159/91. Brasil : Câmara dos Deputados.Centro de Documentação e Informação, 1991. Retirado de: http://www2. camara.gov.br/legin/fed/lei/1991/lei-8159-8-janeiro-1991-322180-normaatua-lizada-pl.pdf

Núñez Fernandez, Eduardo (1999). Organización y gestión de archivos. (660p.) Gijón, Asturias : Edi- ciones TREA. ISBN 84-95178-37-0.

Portaria n.o 372/2007. Diário da República. I Série, 251(2007-20-12) 9141-9155. Retirado de: https://www.siadap.gov.pt/ Docs/Portaria_1633_de_2007.pdf

Ramos, Julio (2006). Arquivos Distritais em Portugal: extensões das Conservatórias dos Registos Civis e Secretarias Notariais? In: Archivum et Jus: ciclo de conferências, out. 2004. Actas... (p. 109- 122) Coimbra : Arquivo da Universidade de Coimbra. ISBN 972-594-103-9.

Ribeiro, Fernanda (1998). O acesso à informação nos arquivos. Porto : Universidade do Porto.Faculdade de Letras, 1998. 2 vol. Tese de doutoramento.

Ribeiro, Fernanda (2011). A arquivística como disciplina aplicada no campo da Ciência da Informação. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, 1(1):59-73. Retirado em: http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/pgc ISSN: 2236-417X.

Ribeiro, Fernanda (2008). Para o estudo do paradigma patrimonialista e custodial: a Inspecção das Bibliotecas e Arquivos e o contributo de António Ferrão (1887-1965). Porto: CETAC : Edições Afrontamento. ISBN 978-972-36-0948-6. 302p.

Ribeiro, Fernanda (2005). Gestão da informação: Preservação da memória na era póscustodial: um equilíbrio precário? In: Conservar para quê? Oitava mesa-redonda de Primavera. Porto: Departamento de Ciências e Técnicas do Património, Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Retirado de: http://ler.letras.up.pt/ uploads/ ficheiros/artigo 8861

Rousseau, Jean-Yves, Carol Couture (1998). Os fundamentos da disciplina arquivística. Trad. Magda Bigotte de Figueiredo. Lisboa : Dom Quixote. ISBN 972-20-1428-5.

Silva, Armando Malheiro da (2009). O retorno às origens e a relação entre as políticas e as práticas arquivísticas: para uma releitura crítica e prospetiva. (cap.37) In: Serrão, José Vicente, Pinheiro, Magada Avelar, Sá, Maria de Fátima & Melo Ferreira (orgs.) Desenvolvimento económico e mudança social: Portugal nos últimos dois séculos. Lisboa : ICS. ISBN 978-972-671-237-4.

Silva, Armando Malheiro da (2006). A informação: da compreensão do fenómeno e construção do objeto científico. Porto : Afrontamentos. ISBN 978-972-36-0859-5.

Silva, Armando Malheiro da, Ribeiro, Fernanda (2011). Paradigmas serviços e mediações em Ciência da Informação. Recife : Nectar. ISBN 978-8560323-33-3.

Silva, Armando Malheiro da (2002). Das «ciências» documentais à Ciência da Informação: ensaio epistemológico para um novo modelo curricular. Porto : Edições Afrontamento. ISBN 972-36-0622-4.

Silva, Armando Malheiro da, Ribeiro, Fernanda, Ramos, Júlio & Real, Manuel Luís (1999). Arquivística: teoria e prática de uma ciência da informação. Porto : Edições Afrontamento. ISBN 972-36-0483-3.


Downloads

Downloads per month over past year

Actions (login required)

View Item View Item