O Impacto da Informação de Patentes no Processo de Inovação em Portugal

Maravilhas, Sérgio and Borges, Maria Manuel O Impacto da Informação de Patentes no Processo de Inovação em Portugal., 2013 . In VI Encontro Ibérico EDICIC, Porto (Portugal), 4-6 November 2013. [Conference paper]

[img]
Preview
Text
PORTUGAL_O Impacto da Informação de Patentes no Processo de Inovação em Portuga.pdf - Submitted version
Available under License Creative Commons Attribution Non-commercial.

Download (756kB) | Preview

English abstract

Information, along with natural and economic resources, proves to be an unprecedented strategic tool in identifying new market opportunities and the prevention of potential threats to the enterprises. The importance of information is now universally accepted and is a resource whose management influences the success of organizations. Being knowledge the leverage to innovation and key to competitiveness, we analyze the role that information sources from industrial property play in this process and consequently on economic growth. This research attempts to answer the question about the relationship between the degree of knowledge and level of usage of patent information by research centres in Portugal and their contribution to the innovation process. The work’s hypothesis, that we tried to validate, is that university research centres that know and use patent information are more innovative since they contribute with more patents and they generate more new products and processes, giving birth to more spin-offs for its industrial application. Interview surveys were conducted to three industrial property support offices, one official agent of industrial property, two business incubators (Porto and Aveiro), one company, three librarians and five researchers to prepare adequately the questionnaire survey applied to 3.819 researchers from 173 research centres of the public higher education (universities and polytechnics) from all scientific areas of Science, Technology and Medicine. After reviewing the responses to these surveys, it appears that researchers that refer to this resource – although underutilized and ignoring its main benefits – have greater number of patents requested and assigned, license more technologies and do not develop many existing and patented technologies, which indicates the advantages of using this type of information.

Portuguese abstract

A informação, a par com os recursos naturais e económicos, revela-se uma ferramenta estratégica sem prece- dentes na identificação de novas oportunidades de mercado e na prevenção de potenciais ameaças para as empresas. A importância da informação é hoje universalmente aceite, constituindo um dos recursos cuja gestão mais influencia o sucesso das organizações. Sendo o conhecimento alavanca da inovação fundamental para a competitividade, analisamos o papel que as fontes de informação da propriedade industrial desempenham neste processo e consequentemente no crescimento económico. O presente trabalho procura res- ponder à questão sobre a relação entre o grau de conhecimento e nível de utilização da informação de patentes pelos centros de investigação em Portugal e o seu contributo para o processo de inovação. A hipótese de trabalho de que se partiu, e que procuramos validar, é a de que os centros de investigação universitários e politécnicos que conhecem e utilizam mais a informação de patentes são mais inovadores, pois patenteiam mais invenções e geram mais produtos e processos novos, originando mais spin-offs para a sua aplicação industrial. Realizaram-se inquéritos por entrevista a três gabinetes de apoio à propriedade industrial (GAPI), um agente oficial da propriedade industrial (AOPI), duas incubadoras de empresas (Porto e Aveiro), uma empresa, três bibliotecários e cinco investigadores a fim de preparar adequadamente o inquérito por questionário aplicado a 3.819 investigadores de 173 centros de investigação do ensino superior público (universitários e politécnicos) englobando todas as áreas científicas de Ciência, Tecnologia e Medicina. Os resultados mos- tram que os investigadores que consultam este recurso – apesar de pouco utilizado e desconhecendo os seus principais benefícios – têm maior número de patentes pedidas e atribuídas, licenciam maior número de tecnologias e não desenvolvem tantas tecnologias já existentes e patenteadas, o que indicia as vantagens da utilização deste tipo de informação.

Item type: Conference paper
Keywords: Industrial property; patent information; scientific and technical information; innovation; technology watch; university and polytechnic research centres; Propriedade industrial; informação de patentes; informação científico-técnica; inovação; vigilância tecnológica; centros de investigação universitários e politécnicos
Subjects: B. Information use and sociology of information > BC. Information in society.
B. Information use and sociology of information > BE. Information economics.
E. Publishing and legal issues.
Depositing user: Carla Ferreira
Date deposited: 08 Apr 2014 15:50
Last modified: 02 Oct 2014 12:31
URI: http://hdl.handle.net/10760/22848

References

"SEEK" links will first look for possible matches inside E-LIS and query Google Scholar if no results are found.

Barañano, A. (2008). Métodos e Técnicas de Investigação em Gestão: Manual de apoio à realização de trabalhos de investigação (1a ed.). Lisboa: Sílabo.

Branscomb, L. (2004). Where Do Tech Commercial Innovations Come From? Paper presented at the

Meredith and Kip Frey Lecture in Intellectual Property at Duke Law School. Retrieved 06-09-2010, from http://www.law.duke.edu/conference/namedlectures.html

Bregonje, M. (2005). Patents: A unique source for scientific technical information in chemistry rela- ted industry? World Patent Information, 27(4), 309-315.

CPI. (2009). Código da Propriedade Industrial (2a ed.). Lisboa: Instituto Nacional da Propriedade Industrial.

De Brabandere, L. (2000). A Gestão das Ideias: da Criatividade à Inovação. Lisboa: Instituto Piaget.

Godinho, M. (1999). Inquéritos à inovação em Portugal: diversidade de abordagens e resultados. In

Godinho & Caraça (eds.), O Futuro Tecnológico. Oeiras: Celta Editora.

Godinho, M. (2003). Estudo Sobre a Utilização da Propriedade Industrial em Portugal (Vol. I). Lisboa:

Instituto Nacional da Propriedade Industrial.

Greif, S. (1987). Patents and Economic Growth. International Review of Industrial Property and Copy-

right Law, 18(2), 191-213.

Hemmerling, J. (1984). Educational measures in the use of patent information in the German Demcratic Republic. World Patent Information, 6(3), 115-118.

Idris, K. (2003). Intellectual property: a power tool for economic growth. Geneva: World Intellectual

Property Organization.

MacMillan, M., & Shaw, L. (2008). Teaching Chemistry Students How to use Patent Databases and

Glean Patent Information. Journal of Chemical Education, 85(7), 997-999.

Maia, J. M. (1996). Propriedade Industrial: Comunicações e Artigos do Presidente do INPI. Lisboa: Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Maravilhas, S. (2009). A Informação de Patentes: vantagens da sua utilização como estímulo à criatividade, I&D, inovação e competitividade das empresas portuguesas. In IAPMEI (Ed.), Parcerias Científicas para a Inovação (pp. 91-110). Lisboa: IAPMEI.

Maravilhas, S., & Borges, M. (2009). O Impacto das Bibliotecas Digitais de Patentes no Processo de Inovação em Portugal. In BORGES & SANZ-CASADO (Eds.), A ciência da informação criadora de conhecimento. (Vol. II, pp. 47-63). Coimbra: Atas do IV Encontro Ibérico EDIBCIC 2009.


Downloads

Downloads per month over past year

Actions (login required)

View Item View Item