Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e estrutura

Silva, Luciana M. and Formoso, Robson G. and Kern, Vinícius M Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e estrutura., 2013 . In XIV Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (ENANCIB), Florianópolis-SC, Brasil, October 29 to November 01, 2013. [Conference paper]

[img] Text
ReposInstit_SilvaFormosoKern_Enancib2013.pdf - Published version

Download (365kB)

English abstract

Institutional repositories are technical-social information systems whose failure is often attributed to several reasons, including the lack of resources and adherence by stakeholders. How to understand repositories in a comprehensive, unbiased manner? To answer this question, we describe institutional repositories as systems, characterizing their components, environmental items, and structuring bonds. Our approach is the abstraction of those elements from a literature review guided by Mario Bunge's composition-environment-structuremechanism system model. The selection of sources is opportunistic, seeking to cover the origins of social facts according to Bunge: environmental, bio-psychological, economic, political, and cultural. The procedures include individually marking components, environmental items, and bonds in the source text, then discussing those markings in group to generate a consensus marking and its consolidation in a system model. Here we report on a pilot study of the abstraction technique using a single source text. The resulting institutional repository model ought to be comprehensive enough to allow for enlightened repository management decisions – for instance, to give up the adoption of the renowned Dublin Core metadata standard because it hampers the retrieval of repository documents, being therefore detrimental to science communication.

Portuguese abstract

Repositórios institucionais são sistemas de informação técnico-sociais cuja frequente falha é atribuída a diversos motivos, incluindo a falta de recursos e de adesão por atores envolvidos. Como entender repositórios de forma abrangente, não-enviesada? Para responder a essa pergunta, a pesquisa tem como objetivo elaborar uma descrição sistêmica de um repositório institucional, caracterizando seus componentes, itens do entorno e ligações estruturantes. A abordagem é a abstração desses elementos a partir de revisão da literatura orientada pelo modelo de sistema composição-ambiente-estrutura-mecanismo de Mario Bunge, fundamento teórico-metodológico da pesquisa. A seleção de fontes para a descrição é oportunística, buscando abranger as origens dos fatos sociais segundo Bunge: ambiental, biopsicológica, econômica, política e cultural. Os procedimentos incluem marcar individualmente, por vários pesquisadores, o texto-fonte quanto aos componentes, itens do entorno e ligações estruturantes de um repositório institucional, depois discutir e consolidar a abstração segundo o consenso do grupo de pesquisadores. Como resultado, apresentamos neste relato um estudo-piloto dessa técnica de abstração a partir de um texto-fonte selecionado. Os autores concluem que o modelo de repositório institucional resultante deve ser abrangente a ponto de permitir entender que uma decisão adequada desde um ponto de vista disciplinar, como a adoção do consagrado padrão de metadados Dublin Core, implica no sufocamento dos acessos ao repositório e, portanto, é uma decisão enviesada que não deve prevalecer.

Item type: Conference paper
Keywords: Institutional repositories. Open acess. Systemism. CESM system model. Information systems.
Subjects: B. Information use and sociology of information > BG. Information dissemination and diffusion.
H. Information sources, supports, channels. > HS. Repositories.
Depositing user: Dr. Vinícius M. Kern
Date deposited: 26 Apr 2015 23:58
Last modified: 26 Apr 2015 23:58
URI: http://hdl.handle.net/10760/24946

References

"SEEK" links will first look for possible matches inside E-LIS and query Google Scholar if no results are found.

ARLITSCH, K.; O'BRIEN, P. S. Invisible institutional repositories: addressing the low indexing ratios of IRs in Google. Library Hi Tech, v. 30, n. 1, p. 60-81, 2012.

BUNGE, M. Emergence and convergence: qualitative novelty and the unity of knowledge. Toronto: University of Toronto, 2003. 330 p.

BUNGE, M. Mechanism and explanation. Philosophy of the Social Sciences, v. 27, n. 4, p. 410-465, 1997.

COSTA, S. M. de S.; LEITE, F. C. L. Insumos conceituais e práticos para iniciativas de repositórios institucionais de acesso aberto à informação científica em bibliotecas de pesquisa. In: SAYÃO, L. F. et al. (Org.) Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memória, livre acesso e preservação. Salvador : EDUFBA, 2009. p. 261-281.

GUEDON, Jean-Claude. It´s a repository, it´s a depository, it´s an archive...: open access, digital collections and value. Arbor Ciencia, Pensamiento y Cultura, v. 185, n. 737, p. 581-595, 2009.

GUIMARÃES, M. C. S.; SILVA, C. H.; NORONHA, I. H. RI é a resposta, mas qual é a pergunta? Primeiras anotações para a implementação de repositório institucional. In: SAYÃO, L. F. et al. (Org.) Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memória, livre acesso e preservação. Salvador : EDUFBA, 2009. p. 261-281.

KERN, V. M. O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sistemas de informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 12., 2011, Brasília. Anais... Brasília: Thesaurus, 2011. p. 2693-2709.

LEITE, F. C. L. Como gerenciar e ampliar a visibilidade da informação científica brasileira: Repositórios institucionais de acesso aberto. Brasília: Ibict, 2009.

LEITE, F. C. L.; COSTA, S. M. S. Gestão do conhecimento científico: proposta de um modelo conceitual com base em processos de comunicação científica. Ciência da Informação, Brasília, v. 36, n. 1, p.92-107, 2007. Jan./abr.

MARQUES, Amélia Maria Nunes; MAIO, Sílvia Raquel da Silva. Repositórios institucionais, [2007?]. Disponível em: http://repositoriosdigitais.web.simplesnet.pt/PDF%27S/Artigo%20%20Repositorios%20Institucionais.pdf. Acesso em: 1 maio 2010.

MEADOWS, A. J. A comunicação científica. Brasília: Briquet de Lemos, 1999. 268 p.

WEITZEL, Simone da Rocha. O papel dos repositórios institucionais e temáticos na estrutura da produção científica. Em Questão, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 51-71, jan./jun. 2006.


Downloads

Downloads per month over past year

Actions (login required)

View Item View Item