Interfaces field schools and social movements in Brazil

Santos, Ramofly Bicalho Interfaces field schools and social movements in Brazil. Revista Brasileira de Educação do Campo, 2016, vol. 1, n. 1. [Journal article (Unpaginated)]

[img] Text
Artigo 26-46.pdf - Published version

Download (495kB)

English abstract

This article has as main objective to present reflections on the critical production of knowledge, linked to the principles of the field of education and values against hegemonic defended by social movements. We carried out a succinct approach, indicating the main problems facing the closure of schools in the field. Developed a bibliographical and documentary research, using sources of research, laws, ordinances, decrees and theoretical frameworks produced on this theme in Brazil. We conclude that the collective production of knowledge, in partnership with students, educators, communities and social movements struggling for land, can dialogue with stories, memories, identities, desires, values and recognition, strengthening the debates around the field education, close relationship with public universities, schools, municipal and state education. We note that this joint is one of the main challenges to be faced by the subjects, individual and collective. The school, in this sense, can provide reflections that educates and helps to point out ways of a more human reality for many rural populations.

Portuguese abstract

O presente artigo tem como objetivo central apresentar reflexões acerca da produção crítica do conhecimento, atrelada aos princípios da educação do campo e dos valores contra hegemônicos defendidos pelos movimentos sociais. Neste trabalho, realizamos uma sucinta abordagem, indicando os principais problemas enfrentados no fechamento das escolas do campo. Desenvolvemos uma pesquisa bibliográfica e documental, utilizando fontes de investigação, legislações, portarias, decretos e referenciais teóricos produzidos sobre tal temática no Brasil. Concluímos que a produção coletiva do saber, em parceria com educandos, educadores, comunidades e movimentos sociais de luta pela terra, pode dialogar com histórias, memórias, identidades, desejos, valores e reconhecimento, fortalecendo os debates em torno da educação do campo, na estreita relação com as universidades públicas, escolas, secretarias municipais e estaduais de educação. Constatamos que tal articulação é um dos principais desafios a ser enfrentado pelos sujeitos, individuais e coletivos. A escola, nesse sentido, pode proporcionar reflexões que eduque e contribua para apontar caminhos de uma realidade mais humana para as diversas populações camponesas.

Item type: Journal article (Unpaginated)
Keywords: Schools Field, Social Movements, Education Field. Escolas do campo, Movimentos Sociais,Educação do Campo.
Subjects: G. Industry, profession and education. > GH. Education.
Depositing user: Revista Brasileira de Educação do Campo
Date deposited: 08 Sep 2016 07:26
Last modified: 08 Sep 2016 07:26
URI: http://hdl.handle.net/10760/29952

References

"SEEK" links will first look for possible matches inside E-LIS and query Google Scholar if no results are found.

Abramovay, R. (1985). Nova forma de luta pela terra: acampar. Revista Reforma Agrária. 15.

Antunes, R. M. I.; Martins, M. F. A.; & Martins, A. A. (Orgs). (2012). Territórios Educativos na Educação do Campo. Autêntica.

Begnami, J. B; Burghgrave, T. (2013). Pedagogia da Alternância e Sustentabilidade. Embrapa Editora.

Benjamin, C., & Caldart, R. S. (2000). Projeto popular e escolas do campo. Brasília, DF: Articulação Nacional por uma Educação Básica do Campo.

Bezerra, N. L. (1999). Sem Terra aprende e ensina: estudo sobre as práticas educativas do Movimento dos Trabalhadores Rurais. Campinas, SP: Autores Associados.

Bicalho, R. (2007). Alfabetização no MST: experiências com jovens e adultos na Baixada Fluminense. Campinas: Editora Komedi.

. (2008). O projeto político pedagógico do movimento dos trabalhadores rurais sem terra: trajetórias de educadores e lideranças. Campinas: Editora Komedi.

Bogo, A. (2000). Reforma Agrária: Por um Brasil sem latifúndio! 4º Congresso Nacional – MST.

Bogo, A. (Org.). (2002). MST: Caderno de cultura. (1). Gerações: coletâneas de poesias. São Paulo.

Caldart, R. S. (2000). Pedagogia do Movimento Sem Terra: escola é mais do que escola. Petrópolis, RJ: Vozes.

Caldart, R. S., Arroyo, M. G., & Molina, M. C. (Orgs.). (2004). Por uma Educação do Campo. RJ: Vozes.

Caldart, R. S. (2010). Caminhos para a transformação da escola: Reflexões desde práticas da Licenciatura em Educação do Campo. Expressão Popular.

Caldart, R. S.; Stedile, M. E., & Daros, D. (Orgs). (2015). Caminhos para transformação da Escola 2: Agricultura camponesa, educação politécnica e escolas do campo. Expressão Popular.

Caldart, R. S., & Pereira, I. Brasil.; Alentejano, P., & Frigotto, G. (Orgs). (2012). Dicionário da Educação do Campo. Expressão Popular.

Campos, M. (2015). Lutas dos movimentos sociais do campo e suas contradições na construção da educação do campo. RETTA – Revista de Educação Técnica e Tecnológica em Ciências Agrícolas. VIII (11).

De Rossi, V. L. S. (2004). Gestão do projeto político-pedagógico: entre corações e mentes. São Paulo: Moderna.

. (2003). Projetos político-pedagógicos emancipadores: histórias ao contrário. Cadernos do Cedes, 23(61), 319-337.

. (2005). Mudança com máscaras de inovação. Educação e Sociedade, 26(61), 935-957.

Fernandes, B. M. (1999). MST: formação e territorialização em São Paulo. São Paulo: Hucitec.

Freire, P. (1997). Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

. (1975). Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

. (1983). Educação como prática de liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Gohn, M. da G. (2001). Movimentos Sociais e Educação. São Paulo: Ed. Cortez.

. (2002). Teorias dos Movimentos Sociais. São Paulo: Loyola.

Gramsci, A. (1978). A Concepção Dialética da História; Os Intelectuais e a Organização da Cultura. São Paulo: Martins Fontes.

Hage, S. M. (2011). Por uma escola do campo de qualidade social: transgredindo o paradigma (multi)seriado de ensino. Em Aberto, 24(85), 97-113.

Honneth, A. (2003). Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo: Ed. 34.

Molina, M. C. (2010). Educação do Campo e Pesquisa II. MDA/MEC.

Molina, M. C.; Freitas, H. C. de A. (Orgs). (2012). Em Aberto. INEP/MEC.

Molina, M. C. (Org.). (2014). Licenciaturas em Educação do Campo e o Ensino de Ciências Naturais: desafios à promoção do trabalho docente interdisciplinar. MDA/Série NEAD.

MST. (1999). Caderno de Educação n 8 - Princípios da Educação no MST. São Paulo.

MST. (2000). Caderno de Educação n 2 (Alfabetização); n 3 (Alfabetização de jovens e adultos: como organizar); n 4 (Alfabetização de jovens e adultos: didática da linguagem); n 5 (Alfabetização de jovens e adultos: educação matemática); n 9 (Como fazemos a Escola de Educação Fundamental). São Paulo.

MST. (2000). Caderno do educando: Pra soletrar a liberdade n° 1: Nossos Valores. São Paulo.

MST. (2001). Caderno do educando: Pra soletrar a liberdade n° 2: Somos Sem Terra. São Paulo.

MST. (2000). Cartilha de saúde nº 5. Construindo o conceito de saúde do MST. São Paulo.

Nosella, P. (1992). A Escola de Gramsci. Porto Alegre: Artes Médicas.

Oliveira. L. M. T. (2015). Educação do campo e as lutas dos movimentos sociais pelos direitos às políticas públicas. RETTA – Revista de Educação Técnica e Tecnológica em Ciências Agrícolas. VIII(11).

Souza, M. A. (2012). Educação do Campo: propostas e práticas pedagógicas do MST. Petrópolis, RJ: Vozes.

Souza, M. A. (Org.). (2011). Práticas educativas do/no campo. Ponta Grossa: Editora UEPG.

Souza, M. A. (2010). Educação e Movimentos Sociais do Campo: a produção do conhecimento no período de 1987 a 2007. Curitiba: Ed. UFPR.

Stedile, J. P., & Fernandes, B. M. (1999). Brava Gente: a trajetória do MST e a luta pela terra no Brasil. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo.

Thompson, E. P. (1981). A miséria da teoria ou um planetário de erros: uma crítica ao pensamento de Althusser. Rio de Janeiro: Zahar Editores.

Tierra, P. (2002). Poesia. In: Bogo, A. (Org.) MST: Caderno de cultura, (1).

Veiga, I. P. A. (2004). Educação básica e Educação superior: Projeto político-pedagógico. Campinas, SP: Papirus.

Vendramini, C. R. (2000). Terra, trabalho e educação: experiências sócio-educativas em assentamentos do MST. Ijuí: Ed. UNIJUÍ.

Vendramini, C. R., & Aued, B. W. (2009). Educação do Campo: desafios teóricos e práticos. Florianópolis: Editora Insular.


Downloads

Downloads per month over past year

Actions (login required)

View Item View Item