A geração Z e as plataformas tecnológicas

Reis, Elismar Vicente and Tomaél, Maria Inês A geração Z e as plataformas tecnológicas., 2016 . In Seminário em Ciência da Informação, Londrina, 3 a 5 de agosto de 2016. [Conference paper]

[img]
Preview
Text
247-1493-1-PB.pdf - Updated version

Download (655kB) | Preview

English abstract

The purpose of this research is to verify the participation of Generation Z in technological platforms. The study was conducted with students of third and fourth grades of a federal high school in northern Paraná. We used the research methodology of Social Network Analysis (SNA) for the study, which enabled us to verify the level of interaction and information shared through technological devices. As a complement we applied the focus group technique (GF) and at this stage the analysis was done by themes and categories, based on content analysis. With the results, it was found that the act of staying online promotes the feeling of closeness with others, and it is considered an important factor to have access to information and the possibility of immediate updating of events. Therefore, the conducts facing technological platforms are seen as more everyday actions than as essential habits, although researchers identify the lack of technology can deprive them of some opportunities. It was also verified that, by keeping the habit of using technology, the Generation Z is accustomed to constant contacts, fast and easy access to information, and therefore they find it difficult to get 37 out of platforms like smartphones. Even accustomed to technological processes of communication and information, Z Generation analyzed here, do not think that they were born with the technology but they have been adapted to it.

Portuguese abstract

Esta pesquisa foi desenvolvida com o objetivo de verificar a participação da Geração Z nas plataformas tecnológicas. O estudo foi realizado com alunos dos 3º e 4º anos de uma escola federal de ensino médio no norte do Paraná. Para a realização do estudo, recorremos à metodologia de pesquisa de Análise de Redes Sociais (ARS), que possibilitou verificar o nível de interação e compartilhamento de informação por meio de dispositivos tecnológicos. Como complemento empregamos a técnica de Grupo Focal (GF) e nesta etapa a análise foi feita por temas e categorias, embasada na análise de conteúdo. Com os resultados obtidos, apurou-se que o ato de permanecer online favorece a sensação de proximidade com outros indivíduos, fator considerado importante no acesso à informação e na possibilidade de atualização imediata dos acontecimentos. Dessa forma, as condutas frente às plataformas tecnológicas são vistas mais como ações cotidianas do que como hábitos essenciais, embora os pesquisados identifiquem que a falta da tecnologia pode privá-los de algumas oportunidades. Constatou-se ainda que, por manterem o hábito de utilização de tecnologia, a Geração Z está acostumada a contatos constantes, acesso fácil e rápido a informação, e que por isso sentiriam dificuldade em se desfazer de plataformas como smartphones. Mesmo habituados aos processos tecnológicos de comunicação e informação, a Geração Z aqui pesquisada, não considera que nasceu junto com a tecnologia, mas foi se adaptando a ela.

Item type: Conference paper
Keywords: Compartilhamento da Informação. Dispositivos tecnológicos. Geração Z. Redes Sociais. Sharing Information. Technological devices. Generation Z. Social Networks.
Subjects: B. Information use and sociology of information > BJ. Communication
Depositing user: Aretusa Barbosa
Date deposited: 23 Feb 2017 13:34
Last modified: 23 Feb 2017 13:34
URI: http://hdl.handle.net/10760/30918

References

"SEEK" links will first look for possible matches inside E-LIS and query Google Scholar if no results are found.

BORGES, Jussara et al. Competências infocomunicacionais: um conceito em desenvolvimento. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 5, n. 1, 2012. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/67/109>. Acesso em: 20 abr. 2014.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da internet: reflexões sobre a Internet, negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003.

CERBASI, Gustavo; BARBOSA, Christian. Mais tempo, mais dinheiro. Rio de Janeiro:

Thomas Nelson Brasil, 2009.

CRISTIANI, A. La generación Einstein. Revista de Antiguos Alumnos del IEEM, Montevideo, v. 13, n. 2, p. 57-61, abr. 2010. Disponível em: <http://socrates.iemm.edu.uy/wp-content/uploads/2011/generaction_einstein_pdfweb.pdf>. Acesso em: 07 abr. 2015.

FERNANDEZ DEL CASTRO, J. L. Juventud:¿ser quien es? Ábaco: Revista de Cultura y Ciencias Sociales, Gijón, v. 4, n. 66, p. 21-67, segunda época, 2010. Disponível em: <http://www.revistasculturales.com/xrevistas/PDF/72/1393.pdf>. Acesso em: 18 abr. 2015.

GARTON, Laura; HAYTHORNTHWAITE, Caroline; WELLMAN, Barry. Studying online social networks. JMC – Journal of Computer-Mediated Communication, v.3, n.1, Jun. 1997. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1083-6101.1997.tb00062.x/full> Acesso em: 25 abr. 2015.

HANNEMAN, Robert A. Introduction to social network methods. 2001. Disponível em: <http://faculty.ucr.edu/~hanneman/nettext/Introduction_to_Social_Network_Methods.pdf>. Acesso em: 10 dez 2014.

JEANNERET, Yves. Dispositif. In: La societé de i´nformation: glossaire critique. Paris: La

Documentation Française, 2005. p. 50-51.

MARTELETO, Regina M; TOMAÉL, Maria Inês. A metodologia de Análise de Redes Sociais (ARS). In: VALENTIM, Marta Lígia P. (Org.). Métodos qualitativos de pesquisa em ciência da informação. São Paulo: Polis, 2005. p. 81-99.

PRENSKY, Marc. Digital natives, digital immigrants. MCB University Press, 2001. Disponível em: <https://edorigami.wikispaces.com/file/view/PRENSKY+-+DIGITAL+NATIVES+AND+IMMIGRANTS+1.pdf>. Acesso em: 15 jun. 2014.

REQUENA SANTOS, Félix. El concepto de red social. Revista Española de Investigaciones Sociológicas, Madrid, n.48, p. 137-152, 1989. Disponível em: <http://www.reis.cis.es/REIS/PDF/REIS_048_08.pdf>. Acesso em: 17 dez. 2014.

RODRÍGUEZ SEGURA, Enrique; PELÁEZ GARCÍA, Miguel Angel. La convivencia de diferentes generaciones en la empresa: compatibilización y liderazgo integral. In: International Conference on Industrial Engineering and Industrial Management, 4., 2010, Donostia-San Sebastián. Anais eletrônicos…, 2010. p. 160-170. Disponível em: <http://adingor.es/congresos/web/uploads/cio/cio2010/BUSINESS_ADMINISTRATION//160-170.pdf>. Acesso em: 15 abr. 2015.

SANTOS, C. F. et al. O processo evolutivo entre as gerações X, Y e baby boomers. In: SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO – SEMEAD, 14. São Paulo. Anais eletrônicos... São Paulo: FEA-USP, 2011. Disponível em: <http://www.ead.fea.usp.br/semead/14semead/resultado/trabalhosPDF/221.pdf>. Acesso

em: 01 abr. 2015.

TAPSCOTT, Don. A hora da geração digital: como os jovens que cresceram usando a internet estão mudando tudo, das empresas aos governos. Rio de Janeiro: Agir Negócios, 2010.

TOLBIZE, A. Generational diferences in the workplace. Minnesota: research and training center on community living, aug. 2008. Disponível em: <http://rtc.umn.edu/docs/2_18_Gen_diff_workplace.pdf>. Acesso em: 01 abr. 2015.

TOMAÉL, Maria Inês. Rede de conhecimento: o compartilhamento da informação e do

conhecimento em consórcio de exportação do setor moveleiro. 292 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. 2005.


Downloads

Downloads per month over past year

Actions (login required)

View Item View Item