Emanuele Tesauro nos trópicos: caminhos de uma tradução e crítica teórico-histórica em Organização do Conhecimento

Saldanha, Gustavo / GS and Almeida, Tatiana de / TA and Silva, Maria Helena Teixeira da / MHTS Emanuele Tesauro nos trópicos: caminhos de uma tradução e crítica teórico-histórica em Organização do Conhecimento., 2019 [Preprint]

[img] Text
SaldanhaAlmeidaSilva_ISKO_04fev2019.doc

Download (60kB)

English abstract

After a series of historical-epistemological studies, focused on the Knowledge Organization (KO), which call attention to the thought of Emanuele Tesauro, a seventeenth-century theoretician, the urgency of bringing to discussion about the importance of translation, as a way of updating, his work. The present reflection tries to understand the Brazilian studies on Tesauro developed centrally in the last years, from the epistemological-historical perspective and the philosophy of the language, leading to the (necessary) interpretative experience of translation of the theoretical. The corpus of the proposal is focused on the introductory paragraph of the Categorical Index, a discourse that places Tesauro at the heart of the historical construction of the KO and, at the same time, at the forefront of the challenges of innovation in the contemporary domain. The Tesaurian Index is present in the third chapter, “Cagioni Instrumentali delle argutezze oratorie simboliche et lapidarie”, of his work Il Cannocchiale Aristotelico, published in 1670, an essential treatise for the modern understanding of metaphor as a possibility of understanding the world through language. One of the ways to enable this theoretical and epistemological deepening is the translation of his work, which can be considered a way of interpretation and updating, since it is a work of the seventeenth century. Starting from the point of view that the translation is an exercise of communication between different languages, epochs, histories, finally, cultures, that is to relate the meaning of a word with other words that do not belong to the same culture, the work was done involving four phases: definition of the scope of translation focusing on the relationship between Tesauro and KO, reaching the Categorical Index; first contact with the work with appropriation of the Introduction and the Categorical Index; translation proper, which corresponds to the creative part of the translation; evaluation of the translation in light of the KO lexicon. The Tesauro’s research practice and its work in KO seems immediately adherent, mainly by the (co) incidence of the name between subject and instrument (documentary language). The Tesauro’s metalinguistic character evokes not only a way of understanding Aristotelian rhetoric, but of establishing a writing practice, as well as, together with the presentation of the method of such a practice, filled with the interweaving of information, concepts, practices. This is, in short, Emanuele's twist: he is using logical (analytic-conceptual) Aristotle, but under a rhetorical (discursive) Aristotle's theory to indicate the dynamics of words in relation to things. With epistemological-historical lenses, focused on the constant instance of recontextualization, via the slow and necessary process of translation, Tesauro's thinking opens up, establishing itself not only as adherent, but as co-founder (among many margins of theoretical construction of the domain) of the OC. From the metaphorical plane, we can see that Emanuele Tesauro enters the heart of the most difficult and instigating dilemmas, current and historical, of the KO itself.

Portuguese abstract

Após uma série de estudos histórico-epistemológicos, voltados à Organização do Conhecimento (OC), que chamam a atenção para o pensamento de Emanuele Tesauro, teórico do século XVII estudioso da retórica, destaca-se a urgência de se trazer para o meio acadêmico a discussão sobre a importância da tradução, como forma de atualização, de sua obra. A presente reflexão procura compreender o percurso de estudos brasileiros sobre Tesauro desenvolvidos centralmente nos últimos anos, a partir da perspectiva epistemológico-histórica e da filosofia da linguagem, levando à (necessária) experiência interpretativa de tradução do teórico. O corpus da proposta está focado no parágrafo introdutório do Índice Categórico, discurso nevrálgico que coloca Tesauro no coração da construção histórica da OC e, ao mesmo tempo, na vanguarda dos questionamentos e dos desafios de inovação do domínio na contemporaneidade. O Índice tesauriano está presente no capítulo terceiro, Cagioni Instrumentali delle argutezze oratorie simboliche et lapidarie, de sua obra Il Cannocchiale Aristotelico, publicado em 1670, tratado essencial para a compreensão moderna da metáfora como possibilidade de compreensão do mundo através da linguagem. Uma das formas capazes de possibilitar esse aprofundamento teórico e epistemológico é a tradução de sua obra, a qual se pode considerar um modo de interpretação e de atualização, já que se trata de uma obra do século XVII. Partindo do ponto de vista que a tradução é um exercício de comunicação entre diferentes línguas, épocas, histórias, enfim, culturas, que consiste em relacionar o significado de uma palavra com outras palavras que não pertencem à mesma cultura, o trabalho foi feito envolvendo quatro fases: definição do escopo de tradução com foco na relação entre o pensamento de Tesauro e a OC, chegando até o Índice Categórico; primeiro contato com a obra com apropriação da Introdução e do Índice Categórico; tradução propriamente dita, que corresponde a parte criativa da tradução; avaliação da tradução à luz do léxico da OC. A prática da pesquisa sobre Tesauro e sua obra em OC parece imediatamente aderente, principalmente pela (co)incidência do nome entre sujeito e instrumento (linguagem documentária). O caráter metalinguístico do texto de Tesauro evoca não só uma maneira de compreender e restaurar a retórica aristotélica, mas de estabelecer uma prática de escrita, bem como, juntamente com a apresentação do método de tal prática, cheia do entrelaçamento de informações, conceitos, práticas, na forma de comentários. Essa é, em suma, a a torção de Emanuele: ele está usando o Aristóteles lógico (analítico-conceitual), mas sob uma teoria do Aristóteles retórico (o discursivo) para indicar a dinâmica das palavras em relação às coisas. Com lentes epistemológico-históricas, focadas na instância constante da recontextualização, via o lento e necessário processo de tradução, o pensamento de Tesauro se abre, firmando-se não só aderente, como co-fundador (dentre tantas margens de construção teórica do domínio) da OC. A partir do plano metafórico, podemos enxergar-perceber que Tesauro adentra o cerne dos mais difíceis e instigantes dilemas, atuais e históricos, da própria OC.

Item type: Preprint
Keywords: Emanuele Tesauro - Translation; Organization of Knowledge - History; Organization of Knowledge - Epistemology; Rhetoric.
Subjects: A. Theoretical and general aspects of libraries and information. > AB. Information theory and library theory.
I. Information treatment for information services > IC. Index languages, processes and schemes.
I. Information treatment for information services > ID. Knowledge representation.
Depositing user: Gustavo GSS Saldanha
Date deposited: 15 May 2019 23:30
Last modified: 15 May 2019 23:30
URI: http://hdl.handle.net/10760/34469

References

"SEEK" links will first look for possible matches inside E-LIS and query Google Scholar if no results are found.

Almeida, Marco A. de; Crippa, Giulia (2009). De Bacon à internet: considerações sobre a organização do conhecimento e a constituição da ciência da informação. Ponto de Acesso, Salvador, 22(3): 109-131.

Almeida, T.; Saldanha, G. S. (2017). Entre a abordagem analítica e os loci epistêmicos: um debate metametodológico para a organização do conhecimento. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação, 2017, Marília. Anais do XVIII Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação. Marília: PPGCI UNESP. p. 1-20.

Menezes, Vinícios Souza de. (2018). Rasum tabulae: um limiar metafórico-escritural dos estudos da informação,. Tese, 2018. Doutorado em Ciência da Informação. Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação – PPGCI IBICT UFRJ.

Monteiro, Silvana D.; Giraldes, Maria Júlia C. (2008) Aspectos lógico-filosóficos da

organização do conhecimento na esfera da ciência da informação. Inf. & Soc.: Est., João Pessoa, v. 18, n. 3, set./dez., p. 13-27.

Saldanha, G. S. (2017). Sobre a O²S²O, de Tesauro à Bourdieu: linguagem simbólica e a organização ordinária dos saberes socialmente oprimidos. In.: Lucas, Elaine Rosangela de Oliveira; Silveira, Murilo Artur Araújo da. (Org.). A Ciência da informação encontra Pierre Bourdieu. 1ed.Recife: UFPE. p. 173-196.

Saldanha, G. S.; Souza, R. F. (2017). Teoria barroca da organização do conhecimento: Emanuele Tesauro e o espelho turvo das tensões entre epistemologia, metodologia e sociedade. Informação & Informação (Online), v. 22, p. 11-32.

Saldanha, Gustavo S.; Silveira, Naira C. (2016). The treasure of Tesauro: knowledge organization, rhetoric and language. In.: Conference of the International Society for Knowledge Organization (ISKO). Proceedings.... Berlim: Springer. Pp. 301-321.

Saldanha, G. S.; Silveira, N. C. ; Crippa, G. ; Almeida, T. (2018). Who is Tesauro? The man, the words and the things. In: 15th International ISKO Conference, 2018, Porto. Proceedings... Porto: Universidade do Porto. v. 1. p. 1-15.

Tesauro, Emanuele. (1670). Cagioni Instrumentali delle argutezze oratorie simboliche et lapidarie: índice categórico, p.107-122. In: Tesauro, Emanuele. (1670). Il cannocchiale Aristotelico. Turim. Tradução de Maria Helena Teixeira da Silva (2018).


Downloads

Downloads per month over past year

Actions (login required)

View Item View Item