Memória e gestão estratégica da informação em bibliotecas acadêmicas: mapeamento da produção científica

Marques, Bergamo and Karpinski, Cezar Memória e gestão estratégica da informação em bibliotecas acadêmicas: mapeamento da produção científica. Revista Interamericana de Bibliotecología, 2019, vol. 42, n. 2, pp. 177-186. [Journal article (Paginated)]

[img]
Preview
Text
330663-171330-1-PB.pdf

Download (237kB) | Preview

English abstract

The purpose of this article is to analyze, through bibliographic research, with a qualitative and quantitative approach, the contribution of historical documentation of academic libraries in the strategic management of information. It was made a bibliographic review on the data bases Library and Information Science Abstracts, Information Science & Technology Abstracts, Scopus, Web of Science, Base de dados Referenciais em Ciência da Informação of the Universidade Federal do Paraná and Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações of the Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia. The search strategy used required the simultaneous occurrence of the terms “memory” or “history”, “academic library” and “information management”, such as descriptors or keywords. There were retrieved 16 articles that were categorized according to their scope. Of these, none has highlighted the role of historical documentation of academic libraries in the strategic management of information.

Spanish abstract

A proposta desse artigo é analisar, por meio de pesquisa bibliográfica, de abordagem quali-quantitativa, a contribuição da documentação histórica das bibliotecas acadêmicas na gestão estratégica da informação. Foi realizada uma revisão de forma sistemática nas bases de dados Library and Information Science Abstracts, Information Science & Technology Abstracts, Scopus, Web of Science, Base de Dados Referenciais em Ciência da Informação da Universidade Federal do Paraná e Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia. A estratégia de busca utilizada exigiu a ocorrência simultânea dos termos “memória” ou “história”, “biblioteca acadêmica” e “gestão da informação”, como descritores ou palavras-chave dos documentos. Foram recuperados 16 artigos, os quais foram categorizados conforme seu objetivo. Desses, nenhum evidenciou o papel da documentação histórica das bibliotecas acadêmicas na gestão estratégica da informação.

Item type: Journal article (Paginated)
Keywords: Information management, memory, academic library ;gestão estratégica da informação, memória, biblioteca acadêmica; gestión estratégica de la información, memoria, biblioteca académica
Subjects: B. Information use and sociology of information
B. Information use and sociology of information > BC. Information in society.
D. Libraries as physical collections. > DD. Academic libraries.
Depositing user: Luis Carlos Toro Tamayo
Date deposited: 10 Jul 2019 16:30
Last modified: 10 Jul 2019 16:30
URI: http://hdl.handle.net/10760/38425

References

"SEEK" links will first look for possible matches inside E-LIS and query Google Scholar if no results are found.

1. Barbosa, A. A. (2013). Memória institucional: possibilidade de construção de significados no ambiente organizacional. In Encontro Nacional de História da Mídia, 9. (2013). Ouro Preto (MG). Porto Alegre (RS): ALCAR. Recuperado de http://www.ufrgs.br/alcar/encontros-nacionais-1/9o-encontro-2013/artigos/gt-historiografia-da-midia/memoria-institucional-possibilidade-de-construcao-de-significados-no-ambiente-organizacional

2. Camboim, L. G., Paiva, S. B. & Targino, M. G. (2016). Gestão estratégica da informação em coordenações de cursos de graduação de universidades públicas federais. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, (1). Recuperado de http://periodicos.ufpb.br/index.php/pgc/article/view/25158/15482

3. Cândido, C. A., Valentim, M. L. G. P. & Contani, M. L. (2005). Gestão estratégica da informação: semiótica aplicada ao processo de tomada de decisão. DataGramaZero, 6(3). Recuperado de http://www.brapci.ufpr.br/brapci/v/a/3073

4. Carmo, J. R. & Pecegueiro, C. M. P. (2011). Organização do conhecimento científico na universidade: um estudo de caso. Brazilian Journal of Information Science, 5(2), 97-109. Recuperado de http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/bjis/article/view/1330/2181

5. Estabel, L. B. & Moro, E. L. S. (2014) Biblioteca: conhecimentos e práticas. Porto Alegre: Penso, 2014. Livro eletrônico acessado via matrícula e senha da UFSC em Minha Biblioteca. Recuperado de https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788565848862

6. Estevão, J. S. B. & Strauhs, F. R. (2013). Proposta de uma ontologia como modelo de referência no domínio da Memória Organizacional Histórica. Perspectivas em Ciência da Informação, 18(4), 35-53, Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/pci/v18n4/04.pdf

7. Frade, A. C. M. N. et al. (2003). Gestão estratégica da informação: a distribuição da informação e do conhecimento. Informação & Sociedade: Estudos, 13(2), 37-64. Recuperado de http://www.ies.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/90/1557185

8. Gomes, A. L. C. A., & Nogueira, D. G. P. (2016). Informação e memória no Tribunal de Contas da União (1970-2004). Informação & Informação, 21(3). 306-326.

9. Gouveia Júnior, M. & Galindo, M. (2012). Sistemas memoriais como disseminadores da informação. TransInformação, 24(3), 207-217. Recuperado de http://periodicos.puccampinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1203/1178

10. Guard, J. R., Brueggemann, R. F., Fant, W. K., Hutton, J. J., Kues, J. R., Marine, S. A.,… & Schick, L. C. (2004). Integrated Advanced Information Management Systems: a twenty-year history at the University of Cincinnati. Journal of the Medical Library Association, 92(2), 171-178.

11. Guizalberth, A. G. (2003). Aprendizagem organizacional em bibliotecas: a experiência do sistema de bibliotecas Unileste (MG) (dissertação mestrado). Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais.

12. Guise, J. L. (2005). Toward a template for systematic reference and instruction programme analysis. New Library World, 106(1/2), 29-42.

13. Joint, N. (2008). Addled by authentication: recent changes to password systems in British academic libraries: ANTAEUS. Library Review, 57(7), 491-498.

14. Komlodi, A., Marchionini, G., & Soergel, D. (2007). Search history support for finding and using information: user interface design recommendations from a user study. Information Processing & Management, 43(1), 10-29.

15. Line, M. B. (2006). Forty years of library automation: a personal reflection. Program, 40(2), 118-122.

16. Lück, E. H. et al. (2000). A biblioteca universitária e as diretrizes curriculares do ensino de Graduação. In Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias, 11. Florianópolis: UFSC, 2000. Recuperado de http://snbu.bvs.br/snbu2000/parallel.html

17. Lopes, U. S. (2004). Arquivos e a organização da gestão documental. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, 9(1), 113-122. Recuperado de https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/412/523

18. Lloyd, A., Harvey, R., & Lodge, D. (2005). Lost and missing Australian documentary heritage: is there any? Australian Library Journal, 54(3), 288-297.

19. Marchionini, G. (2014). Libraries of people. Information Studies, 20(3), 143-194.

20. McRostie, D. (2006). The only constant is change: evolving the library support model for research at the University of Melbourne. Library Management, 37(6/7), 363-372.

21. McGowan, J. J., Overhage, J. M., Barnes, M., & McDonald, C. J. (2004). Indianapolis I3: the third generation Integrated Advanced Information Management Systems. Journal of the Medical Library Association, 92(2), 179-187.

22. Miranda, R. (2016). A construção do Centro de Documentação e Memória da Faculdade de Educação da UFMG: breve relato. Bibliotecas universitárias: pesquisas, experiências e perspectivas, 3(1). Recuperado de https://seer.ufmg.br/index.php/revistarbu/article/view/1997/1447

23. Molina, L. G. & Araki, C. (2016). Centros de memória no ambiente digital: em foco a análise de empresas públicas e privadas. Em Questão, 22(1). Recuperado de http://seer.ufrgs. br/index.php/EmQuestao/article/view/58726/36976

24. Molina, L. G. & Valentim, M. L. P. (2011). Memória organizacional, memória corporativa e memória institucional: discussões conceituais e terminológicas. Revista EDICIC, 1(1), 262-276. Recuperado de http://www.edicic.org/revista/index.php/RevistaEDICIC/article/view/20/pdf

25. Paiva, M. R. (2011). Compartilhamento da informação e do conhecimento na Universidade Estadual de Maringá: contribuições de um repositório temático institucional em moda e design (dissertação mestrado profissional). Programa de Pós-Graduação em Gestão da Informação. Londrina: Universidade Estadual de Londrina.

26. Preservação digital (2012). Ciência da Informação, 41(1). Edição especial temática. Recuperado de http://revista.ibict.br/ciinf/issue/view/106/showToc

27. Santos, U. G. (2005). Aspectos gerenciais da Seção Memória da Biblioteca Central da UFBA: interferência no registro das produções acadêmicas. In Encontro Nacional de Ciência da Informação, 6. Salvador. Recuperado de http://www.cinform-anteriores.ufba.br/vi_anais/docs/UbiraciSantos.pdf

28. Silva, H. R. (2002). “Rememoração”/comemoração: as utilizações sociais da memória. Revista Brasileira de História, 22(44). Recuperado de http://www.scielo.br/readcube/epdf.php?doi=10.1590/S0102-01882002000200008&pid=S010201882002000200008&pdf_path=rbh/v22n44/14006.pdf&lang=pt

29. Silva, R. R. G. (2006). Procedimentos básicos de seleção de documentos para conversão digital: elementos de atualização profissional em setores de duas instituições públicas federais. Perspectivas em Ciência da Informação, 11(3), 433-444. Recuperado de http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/56/73

30. Silva, G. B., Santos, J., Silva, M. L., Galdêncio de Moura, R. K., & Carvalho, M. M. (2013). A importância da preservação,186 conservação e tratamento dos registros arquivísticos da UFRN. Múltiplos olhares em Ciência da Informação, 3(2). 1-12.

31. Silveira, F. J. N. (2010). Biblioteca, memória e identidade social. Perspectivas em Ciência da Informação, 15(3), 67-86. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/pci/v15n3/05.pdf

32. Santos, R. F., & Silva, E. F. (2013). O bibliotecário como arquiteto da informação: os desafios e as novas abordagens no hodierno contexto. Múltiplos olhares em Ciência da Informação, 3(2).

33. Teixeira, W. A. M. (2002). Ações de conservação e preservação da memória no contexto digital. TransInformação, 14(2), 179-181. Recuperado de http://periodicos.puccampinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1500/1474

34. Torres, R. F. & Neves, J. T. R. (2008). Gestão estratégica da informação: estudo de caso em uma prestadora de serviços de tecnologia da informação. DataGramaZero, 9(1). Recuperado de http://www.brapci.ufpr.br/brapci/v/a/4837

35. Turner, A. L. (2006). Committing to memory: a project to publish and preserve California local history digital resources. Journal of Archival Organization, 4(1/2), 11-27.

36. Wilson, N., J. H., Davenport, T. H. & Prusak, L. (2004). ¿Quién le aporta las buenas ideas y cómo responde usted? Madrid, ES: Deusto. Livro eletrônico acessado via reconhecimento de IP. Recuperado de http://www.ebrary.com


Downloads

Downloads per month over past year

Actions (login required)

View Item View Item